OFERTA FORMATIVA

Ref. 131A4 Inscrições abertas até 25-11-2021

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-105670/19

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 36.0 horas

Início: 02-12-2021

Fim: 10-02-2022

Regime: Presencial

Local: Online (carta circular 2/2021 do CCFCP)

Formador

Soraia Alexandra Caracol de Pinho

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial.Para efeitos de aplicação do artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial .No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente..

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Protocolo CFAE PM e Escola Camilo Castelo Branco, Luanda, Angola

Razões

O nosso país, no sentido de realizar mudanças significativas na educação, tem vindo a definir várias estratégias nacionais, entre elas: o Perfil do Aluno à saída da escolaridade obrigatória (PA), a Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania (ENEC), a Autonomia e Flexibilidade Curricular (AFC), o Programa Nacional Promoção Sucesso Escolar(PNPSE) e o compromisso da Educação Inclusiva (EI). Porém, como as mudanças não se fazem por decreto, para mudar é preciso mobilizar os agentes educativos na operacionalização dos normativos que entraram recentemente em vigor. Assim, através de uma cultura de cooperação assente nas diferenças e potencialidades de cada um, esta formação alicerça-se nas pedagogias da nova geração capacitando os docentes para a co-criação de percursos de renovação,inovação e transformação, em parceria com várias entidades e agentes educativos.

Objetivos

Conhecer as novas medidas de política educativa, ao nível do currículo nacional; - Refletir sobre os desafios das novas medidas de política educativa, ao nível do currículo nacional, nomeadamente aAutonomia e Flexibilidade Curricular e o Perfil do Aluno; - Assegurar práticas educativas, inovadoras, que promovam uma educação de qualidade; - Estabelecer compromissos e vínculos com uma educação de qualidade para todos os alunos. - Criar redes de trabalho para uma ação efetiva; - Desenvolver a inteligência coletiva para promover mudanças positivas; - Utilizar habilmente tecnologias sociais de colaboração; - Elaborar estratégias eficazes para a ação.

Conteúdos

1. Pedagogias do projeto (Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP), Design Thinking, Aprendizagem Baseada em Projetos) – 6h 2. Pedagogias da socialização (co-aprendizagem, inteligência coletiva, comunidades de aprendizagem, colaboração e cooperação) – 6h 3. Pedagogias da Pesquisa (Investigação-ação, inquiry based learning (IBL), ensino-aprendizagem por descoberta,BYOD) - 6h

Metodologias

Sessões presenciais A metodologia da ação assenta numa abordagem sistémica e holocrática. Através da criação de protótipos, os formandos vão investindo na melhoria das suas práticas, as quais são preparadas e posteriormente discutidas ao longo das sessões. Privilegia-se um trabalho colaborativo e de investigação-ação que permite a realização de dinâmicas de intervisão (facultativo) e trabalho de campo. A escuta generativa e as conversas significativas,em torno dos temas abordados fazem parte da metodologia adotada para esta ação. A formação corporiza-se, também, através de procedimentos metodológicos que privilegiem a interação entre a teoria e a prática, a partilha e o debate construtivo. Trabalho autónomo O trabalho autónomo será desenvolvido em contextos educativos,onde os formandos desenvolvem metodologias e práticas trabalhadas nas sessões presenciais e concretizado através de umtrabalho de natureza multidisciplinar, interdisciplinar e transdisciplinar, por forma a criar contextos de aprendizagem inovadores e desafiantes

Avaliação

A avaliação dos formandos decorre em conformidade com o Regime Jurídico da Formação Contínua, o nº 2 do Artigo 46ºdo ECD, aprovado pelo Decreto-Lei nº 15/2007, de 19 de Janeiro e a Carta Circular CCPFC – 3 – 2007 – Setembro. A avaliação dos formandos terá incidência em: Critérios Parâmetros Participação/Contributos: Participação nas sessões (dinâmica da participação e qualidade das intervenções) e partilhassobre o trabalho autónomo desenvolvido. Trabalho final (em equipa): - Conceção, desenvolvimento e avaliação de um episódio de aula, tendo como referência asabordagens realizadas na ação (Qualidade dos materiais produzidos) - Produção de uma reflexão final, individual.

Modelo

A avaliação final da oficina de formação será efetuada recorrendo a: • Relatório das/os formadoras/es; • Questionário de avaliação preenchidos pelas/os formandas/os; • Questionário de avaliação preenchidos pelas/os formadoras/es.

Bibliografia

• Decreto lei 55 /2018 – 6 de julho • Decreto lei 54/2018 – 6 de julho • Baptista, M.; Ponte, J. P.; Velez, I.; Belchior, M. at Costa, E. (2012 ). O lesson study como estratégia de formação deprofessores a partir da prática profissional. In Investigação em Educação Matemática: Práticas de ensino da Matemática.p. 494 – 505. Editor: Leonor Santos / Editores convidados: Ana Paula Canavarro, Ana Maria Boavida, Hélia Oliveira, LuísMenezes, Susana Carreira. Sociedade Portuguesa de Investigação em Educação Matemática. Lisboa. • COSME, Ariane (2018). Autonomia e Flexibilidade Curricular Propostas e Estratégias de Ação - Ensino Básico e EnsinoSecundário. Porto: Porto Editora. • Fadel, C.; Bialik, M. at Trilling, B. (2015). Educação em Quatro Dimensões: As competências que os estudantes devemter para atingir o sucesso. Boston: Center for Curriculum Redesign.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 02-12-2021 (Quinta-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
2 06-01-2022 (Quinta-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
3 11-01-2022 (Terça-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
4 13-01-2022 (Quinta-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
5 18-01-2022 (Terça-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
6 20-01-2022 (Quinta-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
7 25-01-2022 (Terça-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
8 08-02-2022 (Terça-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
9 10-02-2022 (Quinta-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial

INSCREVER-ME

Ref. 132A3 Inscrições abertas até 03-12-2021

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-105669/19

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 06-12-2021

Fim: 28-03-2022

Regime: Presencial

Local: Online (carta circular 2/2021 do CCFCP)

Formador

TELMO ALEXANDRE VINAGRE MARTINS

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário.Para efeitos de aplicação do artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário .No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente..

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Protocolo CFAE PM e Escola Camilo Castelo Branco, Luanda, Angola

Razões

A atividade docente está profundamente marcada pelas TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação), havendo cadavez mais a necessidade de compreender os processos de transformação dos dados em bruto em conhecimento utilizável. A Folha de Cálculo Excel tem a sua aplicação nas Escolas nos seguintes domínios: • análise da avaliação dos alunos; • planificação curricular; • direção de turma; • candidaturas a projetos de intercâmbio educativo; • organização e gestão de dados (listas de dados) das turmas, dos inventários de laboratórios, mediateca; • estatística escolar; • organização e apresentação de dados, referentes a projetos de turma e de escola em tabelas e gráficos; Com esta ação pretende-se consolidar de forma qualitativa a prática docente no desenvolvimento e/ou atualização de práticas metodológicas aliadas às novas tecnologias.

Objetivos

No final desta oficina, os formandos devem: • Adquirir e/ou ampliar o leque de conhecimentos estatísticos e da ferramenta informática Excel; • Aplicar os materiais produzidos na disciplina, área disciplinar lecionada ou direção/coordenação de atividades docentes; • Sensibilizar para as vantagens da utilização da folha de cálculo Excel, de modo a que os agentes educativos promovamrespostas pedagógicas cada vez mais ajustadas; • Facultar a perceção do significado, vantagens e desvantagens associadas aos conceitos estatísticos usados com maisfrequência; • Permitir a tomada de conhecimento das diversas formas de organização e apresentação de informação (dados)fornecidas pelo Excel; • Refletir sobre a necessidade do levantamento e tratamento estatístico de dados no campo educativo; • Produzir relatórios estatísticos.

Conteúdos

Com esta oficina de formação pretendemos contribuir para fomentar a utilização do Excel combinada com conceitos de estatística na prática docente, criando situações de socialização, em que cada participante relate as suas práticas efetivas as partilhe com os colegas, as interrogue e equacione novos meios processuais ou técnicas na atividade docente. No final desta oficina de formação os formandos devem conseguir criar e manipular documentos Excel, quer em termosde dados, quer em termos de formatações, criar fórmulas e utilizar funções Excel, utilizar referências entre células e folhas, manipular folhas e conjuntos de células, linhas e colunas, criar e formatar gráficos, personalizar impressões e imprimir. Para tal, serão abordados os seguintes conteúdos: Introdução e Manipulação de Dados: (6 horas) • Conceito de endereço • Conceito de tipos de conteúdos das células • Esconder e mostrar linhas e colunas • Esconder e mostrar folhas • Navegação entre folhas e livros • Utilização de ligações entre folhas • Ocultar e mostrar linhas e colunas Formatação; Fórmulas e Funções: (8 horas) • Proteção • Validação de dados • Listas personalizadas • Formatações automáticas • Construção de fórmulas • Funções embebidas do Excel • Utilização de referências • Endereços relativos, mistos e absolutos • Fórmulas com células entre folhas • Tabelas dinâmicas • Formatação condicional • Criação de modelos e gestão de modelos/templates • Ordenação e filtros Gráficos: (6 horas) • Criação de gráficos na folha dos dados ou numa nova folha • Tipos de gráficos • Formatação de gráficos • Apresentação de gráficos • Gráficos dinâmicos Impressão; Avaliação da ação: (5 horas) • Configuração da área de impressão • Configuração da impressão • Pré-Visualização • Impressão • Avaliação da ação/Preenchimento da documentação.

Avaliação

Nos termos do artigo 13.º do Regime Jurídico de Formação Contínua, com a redação dada pelo artigo 4.º do Decreto-lei n.º 15/2007 de 19 Janeiro (Alteração ao Regime Jurídico de Formação Contínua), a avaliação dos formandos terá de ser quantitativa. Esta é expressa na escala de 1 a 10, deverá respeitar o referencial da escala de avaliação prevista no n.º 2 do artigo 46º do Estatuto da Carreira Docente, aprovado pelo D.L. nº15/ 2007, de 19 de Janeiro, de acordo com a Carta Circular do CCPFC – 3/2007 de Set. 2007, sendo atribuída com base nos indicadores abaixo apresentados e respetiva ponderação: Participação (25%) • Realização das Tarefas nas Sessões; • Empenho e envolvimento nas atividades. Produção de Trabalhos (60%) • Produção de Trabalhos e/ou Materiais e/ou procedimentos; • Aplicação em contexto escolar. Reflexão crítica (15%)

Modelo

Considerando que há uma perfeita adequação dos domínios dos formadores ao tema e conteúdos da ação de formação dispensam-se esclarecimentos suplementares neste campo do formulário.

Bibliografia

• Brady, Joseph A (2006), Problem-Solving Cases in Microsoft Access And Excel. Course Technology Ptr (Sd), EUA; • Barlow John F. (2005) Excel Models for Business and Operations Management. John Wiley and Sons Ltd, EUA; • Harvey, Greg (2010). Excel 2010 for dummies, E-Books, ISBN 0470489537; • Martins, António (2003). Excel Aplicado à Gestão, 2ª Edição, Edições. Sílabo, Lisboa; • Walkenbach, John (2010), Excel 2010 Formulas, Wiley Publishing, inc Complementar.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 06-12-2021 (Segunda-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
2 10-01-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
3 17-01-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
4 24-01-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
5 31-01-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
6 07-02-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
7 14-02-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
8 21-02-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
9 07-03-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
10 14-03-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
11 21-03-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial
12 28-03-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial

INSCREVER-ME

Ref. 117A5 Inscrições abertas até 03-12-2021

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-106849/19

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 09-12-2021

Fim: 21-03-2022

Regime: Presencial

Local: Online (carta circular 2/2021 do CCFCP)

Formador

Simone Lopes Azevedo

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva a progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Portimão e Monchique

Razões

A avaliação pedagógica tem assumido uma centralidade inegável nas políticas educativas e curriculares, com efeitos concretos nas práticas de ensino e aprendizagem, designadamente na promoção do “sucesso escolar”. A publicação do Decreto-Lei nº 55/2018, de 6 de julho, consagra mudanças significativas ao nível do currículo, assumindo um dos seus princípios orientadores: a “afirmação da avaliação das aprendizagens como parte integrante da gestão do currículo enquanto instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens”. Refere ainda o caráter formativo da avaliação pedagógica como um dos pilares da melhoria da qualidade do ensino e da aprendizagem. Importa, pois, que os professores consolidem estas mudanças de modo contextualizado e que aprofundem competências e conhecimentos inerentes ao processo de avaliação das aprendizagens, nomeadamente, através de desenvolvimento de projetos pedagógicos e didáticos em torno de práticas de avaliação formativa, feedback e participação, critérios de avaliação e processos de recolha de informação. Deste modo, visa-se capacitar e apoiar os docentes para a construção dos recursos inovadores necessários e ajustados aos seus contextos educativos específicos, promovendo-se ainda a implementação e análise dos mesmos, tendo em vista o seu aperfeiçoamento ou reformulação.

Objetivos

- Contribuir para o desenvolvimento de competências e conhecimentos no domínio da avaliação, em geral, e da avaliação pedagógica, em particular, congruentes com o real conteúdo das orientações constantes nos documentos legais; - Promover práticas de trabalho colaborativo e cooperativo na construção e desenvolvimento de projetos de avaliação pedagógica em contexto de sala de aula; - Elaborar recursos educativos de suporte ao desenvolvimento dos projetos de avaliação pedagógica; - Permitir a troca de materiais e experiências, o esclarecimento de dúvidas e a geração de ideias e projetos de natureza pedagógica e didática; - Incrementar práticas de formação de natureza investigativa que confiram competências aos professores para lidar com a mudança e a inovação no âmbito da avaliação pedagógica.

Conteúdos

1. Enquadramento curricular: documentos de referência – 3 horas; 2. Natureza e Fundamentos da Avaliação - 1 hora; 3. Avaliação formativa e avaliação sumativa - 4 horas; 4. Feedback: natureza, distribuição e utilização por alunos e professores- 4 horas; 5.Aprendizagens Essenciais, Critérios de avaliação, Descritores de Níveis de Desempenho e de Standards. - 4 horas; 6. Processos de recolha de informação - 4 horas; 7. Apresentação, discussão e avaliação dos projetos e materiais desenvolvidos no âmbito da oficina - 5 horas.

Metodologias

Sessões presenciais Neste âmbito, os formandos desenvolverão trabalho colaborativo e cooperativo, com o devido enquadramento teórico, em torno da construção de projetos e de materiais para a respetiva implementação em contexto real de aprendizagem, assim como a reflexão crítica, a par e passo, sobre os resultados obtidos e as mudanças que deverão ser adotadas. Sessões autónomas Estas sessões serão realizadas em contexto real de aprendizagem com o desenvolvimento e a aplicação dos projetos pedagógicos e didáticos, assim como dos materiais elaborados numa lógica de investigação-ação, sendo criada uma comunidade de prática.

Avaliação

De acordo com o RJFCP – Decreto-Lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro - e nos termos dos nºs 5 e 6, do artigo 4.º do Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio, valorizando-se uma lógica formativa e de acompanhamento. Assim, a avaliação dos formandos terá incidência: (1) Na participação e no trabalho contínuo realizado ao longo das sessões presenciais; (2) Na componente de trabalho individual, tendo em conta a qualidade dos projetos e materiais produzidos e apresentados em plenário.

Bibliografia

Brookhardt, S. (2013). How to create rubrics for formative assessment and grading. ASCD: Alexandria, Virginia. Brookhardt, S. (2008). How to give effective feedback to your students. ASCD: Alexandria, Virginia. Fernandes, D. (2011). Articulação da aprendizagem, da avaliação e do ensino: Questões teóricas, práticas e metodológicas. J. M. DeKetele & M. P. Alves (Orgs.), Do currículo à avaliação, da avaliação ao currículo, pp. 131-142. Porto: Porto Editora. [http://repositorio.ul.pt/handle/10451/6988] Fernandes, D. (2004). Avaliação das aprendizagens: Uma agenda, muitos desafios. Cacém: Texto Editores. [http://repositorio.ul.pt/handle/10451/5509]

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 09-12-2021 (Quinta-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Online síncrona
2 10-01-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Online síncrona
3 17-01-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Online síncrona
4 24-01-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Online síncrona
5 07-02-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Online síncrona
6 21-02-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Online síncrona
7 07-03-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Online síncrona
8 14-03-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Online síncrona
9 21-03-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Online síncrona

INSCREVER-ME

Ref. 12235T4 Inscrições abertas até 10-12-2021

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-105764/19

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 04-01-2022

Fim: 31-03-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Poeta António Aleixo

Formador

Verónica Cristina Vieira Lopes

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira dos grupos 110, 120, 200, 210, 220, 230, 240, 250, 260, 290, 300, 310, 320, 330, 340, 350, 360, 400, 410, 420, 430, 500, 510, 520, 530, 540, 550, 560, 600, 610, 620, 910, 920, 930, TEC.ESP.. Para efeitos de aplicação do artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva a progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Portimão e Monchique

Razões

A renovação do paradigma educacional no nosso país, em sintonia com um movimento mundial, que visa a educação das crianças e jovens deste século. Reconhecer que o conselho de turma é o “campo” privilegiado para a reflexão e da tomada de decisão, da(s) opção(ões) curricular(es) e das práticas pedagógicas e didáticas a implementar, de forma a adequar a globalidade da ação educativa às finalidades do perfil de competências dos alunos. Oportunidade, tomando por base os conteúdos inerentes ao grupo de recrutamento ou de lecionação dos docentes/aprendizagens essenciais (AE), de projetar o desenvolvimento das competências previstas no perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória (PA), através da construção e concretização de um currículo flexível e integrado, que possibilite e garanta a edificação de aprendizagens contextualizadas e significativas para todos os alunos.

Objetivos

Contribuir para a apropriação/interiorização das medidas educativas da política nacional; Discutir estratégias e metodologias de ensino e de aprendizagem, recursos e modelos educativos promotores das competências previstas no PA; Capacitar os docentes para a operacionalização das AE à luz da AFC; Estimular, para cada ano e disciplina, a análise reflexiva dos conteúdos/ aprendizagens AE, inerentes ao grupo de lecionação dos docentes, enquanto documentos de orientação curricular base na planificação, realização e avaliação do ensino e da aprendizagem conducentes ao desenvolvimento das competências inscritas no PA;Viabilizar a definição e aplicação de estratégias pedagógico e didáticas, ao nível do conselho de turma/ano, convergindo para um planeamento curricular que privilegie o desenvolvimento de iniciativas e de projetos, em particular a criação dos DAC, possibilitando a ampliação, complementaridade e articulação AE de forma a torná-las “culturalmente significativas”;Construir materiais e recursos pedagógicos adequados à operacionalização das AE; Ativar o trabalho colaborativo do conselho de turma.

Conteúdos

a) Medidas da política educativa nacional, ao nível da gestão flexível e integrada do currículo. b) Níveis de integração curricular. c) Abordagens de ensino e de aprendizagem diferenciadas e centradas nos alunos. d) Estratégias de avaliação de competências. e) Domínios de Autonomia Curricular: uma opção de gestão curricular, flexível e integrada , do conselho de turma. f) Conteúdos /Aprendizagens Essenciais.

Metodologias

Presencial 5 H em plenário - Explorar os conteúdos de a) a e); 5 H em grupo disciplinar , com enfoque nos conteúdos/AE de lecionação dos docentes- Questionar, analisar e refletir sobre qual o património de saberes, de experiências e de modos de pensar e agir sobre a realidade, próprios de cada disciplina , do qual os alunos se deverão apropriar; Identificar quais os quadros conceptuais, os instrumentos e os procedimentos nucleares que irão orientar o trabalho a realizar em sala de aula; 10 H em conselho de turma- Refletir sobre possíveis itinerários de ensino-aprendizagem; Identificar áreas de confluência de trabalho interdisciplinar e ou de articulação curricular ; Produzir os materiais pedagógico-didáticos necessários à criação e operacionalização de um DAC, em que se observe a ampliação, complementaridade e ou articulação das AE, de forma a serem concretizados no conselho de turma/ano; 5 H em plenário - Partilhar as experiências dos trabalhos desenvolvidos, em contexto profissional, e apresentar os resultados obtidos. Trabalho autónomo Sessões a ser concretizadas em contexto de sala de aula ou noutros contextos educativos.

Avaliação

No final da formação, os formandos serão avaliados individualmente, de acordo com a qualidade da sua participação, do produto da formação exibido, da sua apresentação/discussão em plenário e da sua reflexão crítica. A avaliação final da formação expressa-se de acordo com a escala quantitativa de 1 a 10 valores, acompanhada uma menção qualitativa (Insuficiente; Regular, Bom, Muito Bom e Excelente), tal como consta no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio. Parâmetros avaliáveis: processo de formação 20%; produto de formação 60%; reflexão final 20%.

Bibliografia

Diplomas legais, Heacox, D. (2006). Diferenciação curricular na sala de aula. Coleção estratégias Educativas. Porto, Porto Editora. Cohen, Ana C.; Fradique, José (2018): Guia da Autonomia e Flexibilidade Curricular, Raiz Editora / Lisboa Editora. Cosme, Ariana (2018): Autonomia e Flexibilidade Curricular Propostas e Estratégias de Ação - Ensino Básico e Ensino Secundário, Porto Editora.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 04-01-2022 (Terça-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
2 06-01-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
3 13-01-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
4 20-01-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
5 27-01-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
6 03-02-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
7 10-02-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
8 17-02-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
9 24-02-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
10 10-03-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
11 24-03-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
12 31-03-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial

160
INSCREVER-ME

Ref. 11861T2 Inscrições abertas até 12-12-2021

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-111030/21

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 10-01-2022

Fim: 04-04-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Poeta António Aleixo

Formador

José Maria de Sousa Rasquinho

Destinatários

Educadores de Infância

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira do grupo 100. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo 100.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Portimão e Monchique

Razões

Considera-se fundamental no PTD a integração e capacitação digital dos educadores de infância nas suas práticas pedagógicas. Esta capacitação representa uma forte aposta no processo de valorização e no desenvolvimento profissional dos docentes no domínio da literacia digital e das competências digitais, no sentido de os dotar das competências necessárias à integração transversal, de modo a que estas se afirmem como facilitadoras das práticas profissionais e pedagógicas e, simultaneamente, promotoras de inovação no processo de ensino e de aprendizagem. O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores é o referencial que dá suporte a este plano, contribuindo para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional.

Objetivos

Pretende-se apoiar os educadores na promoção de estratégias e de ações integradoras do digital que permitam melhorar a qualidade do trabalho realizado. São objetivos específicos da oficina: Conceber, selecionar e partilhar recursos digitais no âmbito da educação de infância; Integrar o digital nas propostas educativas, numa perspetiva da articulação plena das aprendizagens; Planificar, avaliar e comunicar com recurso ao digital. Capacitar os docentes da EPE para a promoção da utilização crítica e responsável de diferentes suportes digitais nas atividades do quotidiano das crianças.

Conteúdos

1. Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 2. Exploração de estratégias de promoção do uso pedagógico de tecnologias digitais. 3. Exploração, seleção e adequação de Recursos Educativos Digitais (RED) ao contexto de aprendizagem. 4. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Exploração de recursos digitais de apoio ao planeamento e à avaliação das aprendizagens. 6. Planificação de atividades, projetos e outras metodologias com recurso às tecnologias digitais. 7. Utilização de estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da cidadania digital das crianças. 8. Apresentação e partilha das atividades desenvolvidas pelos formandos na oficina. 9. Reflexão e debate sobre as atividades apresentadas e análise dos resultados obtidos pela sua implementação. 10. Avaliação e conclusões.

Metodologias

Presencial As sessões presenciais são destinadas: à exploração, reflexão e articulação das OCEPE com a integração dos ambientes digitais nas aprendizagens das crianças; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na educação pré-escolar, que promovam o desenvolvimento das CD dos docentes; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados das atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha. Trabalho autónomo Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem, tendo por base as OCEPE, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://ec.europa.eu/education/sites/education/files/document-library-docs/deap-swd-sept2020_en.pdf Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Kampylis, P., Punie, Y. & Devine, J. (2015); Promoting Effective Digital-Age Learning - A European Framework for Digitally-Competent Educational Organisations. Disponível: http://publications.jrc.ec.europa.eu/repository/bitstream/JRC98209/jrc98209_r_digcomporg_final.pdf Lopes da Silva, I., Marques, L., Mata, L. e Rosa, M. (2016). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Lisboa: ME/DGE. Disponível em: http://www.dge.mec.pt/ocepe/sites/default/files/Orientacoes_Curriculares.pdf

Anexo

Capacitação_Digital_de_Docentes_da_educação_pré-escolar_CCPFC_-_Gestão_B46cGMW.html

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 10-01-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial
2 17-01-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial
3 27-01-2022 (Quinta-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial
4 03-02-2022 (Quinta-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial
5 07-02-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial
6 14-02-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial
7 21-02-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial
8 07-03-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial
9 14-03-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial
10 04-04-2022 (Segunda-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial

166
INSCREVER-ME

Ref. 12144T2 Inscrições abertas até 12-12-2021

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109411/20

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 13-01-2022

Fim: 17-02-2022

Regime: Presencial

Local: EB,S Bemposta

Formador

Maria Fátima Coelho dos Mártires

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos 1º e 2º Ciclos do Ensino Básico

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira dos grupos 100, 110, 120, 200, 210, 220, 230, 240, 250, 260, 290. Para efeitos de aplicação do artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva a progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Portimão e Monchique

Razões

A DGE tem a decorrer desde 2010 o Programa de Educação Estética e Artística (PEEA), na área do desenvolvimento curricular. O PEEA pretende aprofundar, em contexto escolar, o domínio das várias formas de arte. O presente curso é o 2.º nível de formação para aprofundamento do Teatro. A integração da formação de docentes de todos os grupos disciplinares com o contacto das crianças e jovens com atores e com as peças de Teatro insere-se numa dinâmica formativa que articula os saberes específicos da área do teatro e a fruição de diferentes universos cénicos. Salienta-se ainda a necessidade de formação dos docentes e dos técnicos dos serviços educativos das Companhias de Teatro na área Expressão Dramática /Teatro, cuja ausência de formação, ou insuficiente formação, resulta em práticas que por insistir em atividades que, ora enfatizam a “livre expressão” e o jogo simbólico, ora a ilustração de temas e festividades do calendário escolar, descuram um conjunto de regras e processos básicos necessários à aprendizagem de qualquer área do saber.

Objetivos

• Valorizar o Teatro como forma de arte; • Promover o contacto direto com um conjunto de práticas teatrais; • Incentivar um contacto mais próximo com os públicos escolares, articulando a relação entre a Educação e a Cultura; • Valorizar os conteúdos curriculares de diferentes disciplinas nos vários níveis de ensino; • Mobilizar os conhecimentos e as atividades mais “ajustadas” ao desenvolvimento da criatividade e do espirito critico. • Trabalhar a linguagem do corpo: a abordagem à disponibilidade corporal; a tomada de consciência do corpo e do gesto/movimento; o “jogo” das emoções; o relacionamento com os outros; o jogo dramático; o real e o ficcional; • Desenvolver as capacidades expressivas, gestuais, corporais e vocais dentro das componentes espaço-tempo; • Potenciar a exploração os sentidos (visão, audição...): o seu apuramento e particularização; • Integrar a palavra/sentido do texto no jogo corporal de movimento/relacionamento; • Apropriar os sons e os sentidos das palavras a partir da sua "fisicalidade" e da “corporização” das imagens;

Conteúdos

-O corpo como meio de expressão • Conhecimento do Eu e relacionamento com os outros e o espaço: agir, estar, ver e ser visto, mexer-se, tocar, transformar-se, criar espaços, interpretar e representar; • Jogos de movimento: a relação corpo/espaço; • Simbologia de objetos e ambiências; • Jogos dramáticos: a exploração da sensibilidade/imaginação. II - Textos e Construção do personagem • Analogia – Sinais (Signo): improvisações livres e improvisações intencionais e estruturadas; • Leitura de textos dramáticos e a sua análise: códigos da linguagem dramática – noção e prática da situação cénica, personagem e contexto teórico; • Técnicas de leitura em voz alta: exercícios de ritmos, dicção, respiração, colocação de voz, articulação, volume; • Apreensão físico-afectiva dos textos; • Criação de personagens/tipos, utilizando diferentes intenções; • Experimentação prática a partir de textos diversos. III - Criação e comunicação: Voz, Movimento, Coordenação • Interpretação/ representação; • Jogos de improviso dramático (espontâneo ou orientado) enfatizando contrastes e intenções opostas; • Capacidade de escuta e de resposta; • Relação do corpo no espaço de representação: consigo e com os outros elementos - “atores”, objetos e audiência. IV - Espaço de representação • Diferentes espaços cénicos: convencionais e não convencionais.

Metodologias

O curso decorrerá em sessões presenciais teórico-práticas A metodologia a utilizar basear-se-á em dinâmicas vivenciais e participativas durante as quais os formandos terão a oportunidade de, individualmente ou em grupo, participar em diversos exercícios práticos, quer para reflexão e partilha no âmbito das práticas educativas, quer para aplicação e adaptação no seu contexto diário de trabalho em sala de aula. Serão explorados os conteúdos apresentados, mediante uma abordagem teórico prática. Para tal, as metodologias a utilizar serão, maioritariamente, ativas e vivenciais, de forma a desenvolver competências práticas e mais significativas, que possam ter real impacto na relação pedagógica com os alunos e com os pares.

Avaliação

Apresentação dos trabalhos elaborados em contexto de trabalho. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua, de acordo com os seguintes critérios: • processo da formação ( assiduidade/pontualidade; partilha de conhecimentos; participação nas atividades das sessões; realização das tarefas - 40% • Projeto e reflexão crítica - 60%

Modelo

Aristóteles (2004) A poética, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian. Boal, Augusto (1977), 200 exercícios e jogos para o actor e o não actor com ganas de dizer Brecht, Bertolt (1978), Petit organon pour le theatre, Paris, Travaux 4-L’arche Graig, Gordon (1963), Da arte do teatro, Lisboa, Arcádia. Meyerhold, Vsévolod (1980), O teatro Teatral, Lisboa, Arcádia

Anexo

Teatro_em_contexto_escolar_CCPFC_-_Gestão_de_Processos.html

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 13-01-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
2 15-01-2022 (Sábado) 09:30 - 18:30 9:00 Presencial
3 29-01-2022 (Sábado) 09:30 - 18:30 9:00 Presencial
4 10-02-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
5 17-02-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial

161
INSCREVER-ME

Ref. 10952 Inscrições abertas até 12-12-2021

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-112088/21

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 13-01-2022

Fim: 29-01-2022

Regime: Presencial

Local: EB,S Bemposta

Formador

Alice Isabel Silva Duarte

Destinatários

Professores dos Grupos 100, 110

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira dos grupos 100, 110. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 100, 110.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Portimão e Monchique

Razões

O Ministério da Educação está a levar a efeito o «Programa de Educação Estética e Artística» (PEEA) nos contextos da Educação Pré - Escolar e do 1º Ciclo do Ensino Básico. O referido programa inclui, num dos seus eixos de intervenção, a formação de Educadores de Infância e dos Professores do 1º Ciclo do Ensino Básico, nas áreas de Artes Visuais, Dança, Expressão Dramática / Teatro e Música. Com o objetivo de reforçar o trabalho desenvolvido no âmbito do PEEA e assegurar a sustentabilidade e a qualidade das práticas na área da dança, propõe-se, a realização de um curso específico de dança, aprofundando a apreensão da sua linguagem específica, a fruição de diversos universos coreográficos e a reflexão sobre os processos de aprendizagem nesta área.

Objetivos

Perceber a importância do desenvolvimento motor e capacidades expressivas de crianças e jovens para a adequação das metodologias e estratégias de ensino-aprendizagem em Dança; • Sublinhar a necessidade de contacto com os diferentes universos artísticos, nomeadamente, os coreográficos.

Conteúdos

A Dança na Educação Estética e Artística: Interpretar/Criar/Apreciar; (1:00h) • Dança em contexto educativo; (1:00h) • Ações Motoras, Movimentos Básicos Locomotores e Não Locomotores; (3:00h) • Rudolf Laban e a análise do movimento: (6:30h) - Materiais coreográficos: Corpo, Espaço, Tempo, Dinâmica e Relações; • Exploração, Improvisação e Composição de movimentos; (6:30h) - Estímulos (auditivos, visuais, temáticos, táteis, cinestésicos); - Técnicas básicas de construção coreográfica; • Sentido estético – Observação/Apreciação de diversas formas de dança, em diferentes contextos e Argumentação com utilização de vocabulário específico; (3:00h) • Orientações e currículo em Educação Artística - Dança na Educação Pré-escolar e 1º Ciclo do Ensino Básico; (1:00h) • Planificação de sessões de Dança em Educação Pré-Escolar e no 1º Ciclo do Ensino Básico (Sistematicidade, Intencionalidade, Adequação, Especificidade e Universalidade) e Fases da aula de Dança (Inicial, Fundamental e Final); (2:00H) • A avaliação em Dança. (1:00h)

Metodologias

A explicação didático-pedagógica de cada conteúdo será feita em simultâneo e/ou seguida da respetiva experimentação, por parte dos formandos, em pequeno e/ou grande grupo. • Sessão teórica sobre motricidade infantil, fases de desenvolvimento nos escalões etários, benefícios da dança, breve abordagem sobre modelos pedagógicos centrados no processo versus produto final e as vantagens do modelo misto (admitindo tanta importância ao processo como ao/aos produtos finais e consubstanciado nas Ações interdependentes- Desempenhar/Interpretar; Observar/Apreciar e Construir/Criar); • Partilha, pelos participantes, das suas experiências formativas, nomeadamente, nas várias formas de abordagem metodológica aos conteúdos e conceitos específicos da dança; • Apresentação de modelos práticos relativos ao desenvolvimento curricular na dança, enquanto área artística (recursos pedagógicos, planificação, avaliação, entre outros); • Contactos com diferentes universos coreográficos (visionamento de excertos de danças de estilos, géneros e geográficos, utilizando recursos físicos e digitais.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua, de acordo com os seguintes critérios: • Participação - 50% • Projeto - 30 % • Reflexão crítica - 50%

Bibliografia

Alves, M. J., (2012) “A Improvisação no Ensino da Dança”- In E. Monteiro, & M. J. Alves (Eds.), Livro de Atas do SIDD 2011, Seminário Motricidade Humana, Serviço de Edições. ISBN 978-972-735-181-7. Marques, I. A. (2012). Revisitando a dança educativa moderna de Rudolf Laban. Sala Preta 2. São Paulo: ECA-USP. (pp.276-281). Smith-Autard, J. M. (1994). The Art Of Dance in Education. A & C Black Publishers Ltd. London. Xarez, L. R. (1999). A Dança na Escola – Actividades Rítmicas Expressivas (Registo Vídeo). Gabinete Coordenador do Desporto Escolar, Departamento da Educação Básica. Ministério da Educação.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 13-01-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
2 20-01-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
3 21-01-2022 (Sexta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
4 22-01-2022 (Sábado) 10:00 - 17:00 7:00 Presencial
5 27-01-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
6 28-01-2022 (Sexta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
7 29-01-2022 (Sábado) 09:30 - 13:30 4:00 Presencial

177
INSCREVER-ME

Ref. 10856 T1 Inscrições abertas até 12-12-2021

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-104486/19

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 13-01-2022

Fim: 10-03-2022

Regime: e-learning

Local: online (sessões síncronas - 8H e sessões assíncronas - 17H)

Formador

José Eduardo de Jesus Aguileira Cardoso

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário.Para efeitos de aplicação do artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário .No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente..

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Portimão e Monchique

Razões

A metodologia de tutoria tem por objetivo potenciar e orientar os objetivos dos tutorandos tendo em conta todas as competências adquiridas e que podem ser potencialmente desenvolvidas (Azevedo e Nascimento, 2007). A tutoria prevê treino, facilitação e aconselhamento, constituindo-se em si como uma rede de apoio social para o tutorando (Clutterbuck, 1991). Em contexto escolar, as tutorias assumem um papel preponderante na desconstrução de preconceitos e barreiras relativamente a dificuldades assumidas como definitivas pelos alunos. O Ministério da Educação, através do Despacho Normativo 4-A/2016/16 junho aponta para a necessidade dos alunos serem acompanhados por um professor-tutor no sentido de minimizar situações-problema, tais como, dificuldades de integração, atitudes e comportamentos disruptivos e necessidades educativas especiais. Enquadrado nos objetivos do Despacho Normativo 4-A/2016/16 junho, este curso de formação terá como propósito responder à urgência de capacitar professores-tutores, de norte a sul do país e ilhas, identificados pelo Ministério da Educação, para que a sua prática possa atenuar a distância entre as necessidades de aprendizagem dos tutorandos, os seus objetivos e sonhos, e os conhecimentos que a escola lhes pode facultar.

Objetivos

• Aprofundar conhecimento acerca da metodologia de tutoria e os propósitos da mesma em contexto escolar; • Aprofundar conhecimento nos modelos motivacionais e de autorregulação da aprendizagem - Explorar o desenvolvimento de estratégias autorreguladoras de aprendizagem e promoção de competências organizadoras do raciocínio e de resolução de problemas com os alunos; - Capacitar os professores-tutores para a identificação e intervenção em situações educativas problemáticas (e.g., baixos níveis de envolvimento escolar, dificuldades em definir objetivos futuros) - Refletir sobre as dificuldades escolares, sociais e desenvolvimentais dos alunos através da exploração e orientação para a resolução de problemas; - Explorar narrativas como ferramenta educativa e de regulação comportamental; - Explorar e desenvolver recursos de apoio e avaliação da prática. • Refletir acerca do papel do professor-tutor; • Explorar e desenvolver competências de intervenção direta do professor-tutor com os alunos-alvo; • Integrar os professores-tutores numa comunidade de partilha de experiências e recursos para a prática da tutoria em contexto escolar.

Conteúdos

Módulo 1. Contextualização da Ação (2,5h assíncronas + 1h síncrona) 1.1. Desconstrução de significados e mitos acerca do papel do professor-tutor - Mitos e questões acerca do papel do professor-tutor; - Apresentação do cronograma do curso; - Avaliação de conhecimentos pré-formação; - Apresentação da tarefa final: Relatório de reflexão individual. 1.2. Apresentação e familiarização com as ferramentas online Moodle®, Adobe Connect®, Padlet® e Tricider®: - Registo e construção de perfil; - Apresentação das funcionalidades da ferramentas; Módulo 2. Introdução à metodologia de Tutoria (2h assíncronas + 1h síncrona) 2.1 Tutoria - Explorar o conceito de tutoria: perspectiva histórica; - Explorar as diferenças entre coaching, mentoring e tutoria; - Os Programas de Tutoria: Porquê?; - Explorar as atribuições do professor-tutor na legislação em vigor; 2.2 Competências de Relação Interpessoal na Tutoria - Apresentação e reflexão acerca dos objetivos do processo de tutoria; Módulo 3. Os tipos de conhecimento e a sua relação com a aprendizagem (2h assíncronas + 1h síncrona) 3.1 Tipos de conhecimento - Apresentação dos Tipos e fases de conhecimento; - Interação entre o conhecimento e a aprendizagem; 3.2 Competências de Relação Interpessoal na Tutoria - Apresentação e reflexão acerca do ciclo do processo de ajuda; Módulo 4. Motivação e aprendizagem: (con)sequêncialidades (2h assíncronas + 1h síncrona) 4.1 Motivação - Aprofundar o conceito de motivação no contexto da aprendizagem e as abordagens cognitivas da motivação; - Aprofundar o papel dos objetivos e o que orienta os alunos para os diferentes objetivos; 4.2 Competências de Relação Interpessoal na Tutoria - Apresentação e reflexão acerca da fase de facilitação do ciclo do processo de ajuda; Módulo 5. Modelos de autorregulação da aprendizagem (2h assíncronas + 1h síncrona) 5.1 Modelos de autorregulação da aprendizagem - Aprofundar o modelo das fases da aprendizagem autorregulada segundo Zimmerman (2000; 2002); - Aprofundar o modelo PLEA (Rosário, 2004); 5.2 Competências de Relação Interpessoal na Tutoria - Apresentação e reflexão acerca da fase de transição/insight do ciclo do processo de ajuda; Módulo 6. Estratégias de autorregulação da aprendizagem em contexto de tutoria (2h assíncronas + 1h síncrona) 6.1 Estratégias de autorregulação da aprendizagem - Explorar as estratégias de autorregulação da aprendizagem e sua aplicação em contexto de tutoria; - Explorar plano sequencial para a promoção do desenvolvimento da autorregulação da aprendizagem; 6.2 Competências de Relação Interpessoal na Tutoria - Apresentação e reflexão acerca da fase de ação do ciclo do processo de ajuda; Módulo 7. Envolvimento Escolar e Possible Selves (2h trabalho autónomo + 1h síncrona) 7.1 Envolvimento Escolar e Possible Selves - Aprofundar o conceito de envolvimento escolar e as suas dimensões em interligação com as competências de autorregulação; - Aprofundar o conceito de possible selves e a sua influência no envolvimento escolar, na definição de objetivos e no sucesso académico; 7.2 Competências de Relação Interpessoal na Tutoria - Apresentação e reflexão acerca do treino de competências de atendimento; Módulo 8. Avaliação (2,5h assíncronas + 1h síncrona) 8.1 Avaliação do curso de formação - Avaliação de conhecimentos pós-formação e da qualidade da formaçaõ; - Reflexão acerca dos conteúdos e implicações no contexto de tutoria e das competências do tutor; 8.2 Relatório reflexão individual

Metodologias

Exposição dos conteúdos valorizando, sobretudo, o trabalho autónomo e cooperativo dos formandos. • Diagnóstico e reflexão em grupo (sessões síncronas) dos conteúdos trabalhados e implicações na sua prática de professores-tutores. Recurso a plataformas digitais: Moodle® - Plataforma de interface e de organização do Curso e de apoio ao trabalho autónomo. * Fórum Notícias: divulgação de informação relevante para o funcionamento do curso por parte dos formadores; * Fórum Dúvidas: esclarecimento de dúvidas gerais acerca do funcionamento do curso de formação; * Fórum por Módulo: esclarecimento de dúvidas relativas a um módulo específico. Adobe Connect® - Plataforma de conferência digital para as sessões síncronas. Padlet® - Portfolio de aprendizagem - Plataforma para submissão de trabalhos propostos e autopropostos (trabalhos que o formando considere que acrescenta conteúdo da sua formação pessoal e dos colegas); Tricider®: - Plataforma para diiscussão de ideias online. O curso será desenvolvido ao longo de 8 semanas ininterruptamente. Cada módulo terá associada uma sessão síncrona com os formandos. Após cada sessão síncrona é iniciado o módulo seguinte.

Avaliação

Na avaliação dos formandos será atribuída uma classificação numa escala de 1 a 10, conforme indicado na Carta Circular CCPFC n.º 3/2007. A ponderação a aplicar em cada concretização prevista para cada parâmetro de avaliação estipulado: ● A realização/entrega dos trabalhos previstos para cada módulo. ● A elaboração de um relatório de reflexão de acordo com o modelo apresentado e devolvido através da plataforma Moodle® em local próprio para o efeito. Ponderação: ● Participação nas sessões – classificação de 1-5 (50%): Participação nas atividades de discussão/reflexão da sessão síncrona; ● Trabalho desenvolvido para aplicação dos conteúdos - classificação de 1-5 (50%), esta percentagem terá em conta os seguintes elementos: * Padlet® individual que revele trabalho autónomo (10%); * Tarefas propostas (15%); * Quiz (10%); * Relatório de reflexão individual (15%).

Bibliografia

Azevedo, N., e Nascimento, A. (2007). Modelo de tutoria: construção dialógica de sentido(s). Revista Interacções, 3(7), 97-115. Clutterbuck, D. (1991). Everyone needs a mentor. London: Institute of Personnel and Development. Despacho Normativo 4-A/2016, de 16 junho Hamilton, M. A., e Hamilton, S. F. (2005). Work and service-learning. In D. L. Dubois e M. K. Karcher (Eds.), Handbook of youth mentoring (pp. 348-363). Thousand Oaks, CA: Sage.

Anexo

Mentor-_Tutorias_autorregulatórias_CCPFC_-_Gestão_de_Processos.pdf

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 13-01-2022 (Quinta-feira) 19:00 - 20:00 1:00 Online síncrona
2 13-01-2022 (Quinta-feira) 20:00 - 22:30 2:30 Online assíncrona
3 20-01-2022 (Quinta-feira) 19:00 - 20:00 1:00 Online síncrona
4 20-01-2022 (Quinta-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online assíncrona
5 27-01-2022 (Quinta-feira) 19:00 - 20:00 1:00 Online síncrona
6 27-01-2022 (Quinta-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online assíncrona
7 03-02-2022 (Quinta-feira) 19:00 - 20:00 1:00 Online síncrona
8 03-02-2022 (Quinta-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online assíncrona
9 10-02-2022 (Quinta-feira) 19:00 - 20:00 1:00 Online síncrona
10 10-02-2022 (Quinta-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online assíncrona
11 17-02-2022 (Quinta-feira) 19:00 - 20:00 1:00 Online síncrona
12 17-02-2022 (Quinta-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online assíncrona
13 24-02-2022 (Quinta-feira) 19:00 - 20:00 1:00 Online síncrona
14 24-02-2022 (Quinta-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online assíncrona
15 10-03-2022 (Quinta-feira) 19:00 - 20:00 1:00 Online síncrona
16 10-03-2022 (Quinta-feira) 20:00 - 22:30 2:30 Online assíncrona

178
INSCREVER-ME

Ref. 12053 Inscrições abertas até 12-12-2021

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-105401/19

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 30.0 horas

Início: 17-01-2022

Fim: 23-03-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Poeta António Aleixo

Formador

Sandra Maria Domingues Gonçalves Correia

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores do Ensino Especial

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva a progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Portimão e Monchique

Razões

Atualmente, a dislexia é reconhecida como uma dificuldade específica de aprendizagem, razão pela qual configura uma das principais preocupações de pais, professores, psicólogos, terapeutas da fala e demais atores educativos. As crianças e jovens disléxicos, conquanto possuam um nível de inteligência médio ou acima da média, manifestam lacunas na aprendizagem e automatização do processo de leitura e de escrita, revelando tendencialmente um desempenho académico inferior às suas reais capacidades, traduzido, muitas vezes, em insucesso escolar, acompanhado de alterações emocionais (gestão do stress, baixa autoestima e fraco autoconceito). A pertinência desta formação justifica-se pela ausência de formação inicial e contínua nesta área, sendo necessário dotar os docentes de ferramentas pedagógicas adequadas que potenciem a melhoria das respostas educativas.

Objetivos

Esta oficina pretende: - Clarificar o conceito de dislexia e outros associados (disortografia, discalculia e disgrafia); - Identificar os sinais de alerta e promover a atualização de conhecimentos neste âmbito; - Capacitar os docentes para aperfeiçoarem a qualidade da ação educativa, indo ao encontro das necessidades educativas dos alunos disléxicos, diferenciando as formas de apresentação e de exploração dos conteúdos curriculares, de acordo com o disposto no DL n.º 54/2018; - Desenvolver competências no âmbito da avaliação da leitura e da escrita que permitam aos docentes distinguir dificuldades de aprendizagem decorrentes de fatores ambientais de dificuldades de aprendizagem resultantes de défice fonológico (dislexia); - Envolver os professores participantes na definição de procedimentos de ação e na produção de materiais de intervenção adequados aos seus diferentes contextos de trabalho; - Aplicar, nos contextos pedagógico-didáticos, os materiais e exercícios produzidos; - Refletir sobre a prática e os resultados obtidos; - Promover, num ambiente ativo de interações positivas, a reflexividade docente e o trabalho em equipa multidisciplinar.

Conteúdos

Módulo I - 3 horas 1.1. Apresentação da Oficina de Formação e organização dos trabalhos - Apresentação da metodologia de realização da ação; - Caracterização das práticas pedagógicas do grupo de formandos. 1.2. Dislexia: conceito, historial e comorbilidades - Dislexia: da definição ao conceito; - Historial e etiologia (fatores neurobiológicos, sociolinguísticos e ambientais); - As comorbilidades mais frequentes: disortografia, discalculia, disgrafia, Défice de Atenção, Motricidade e Perceção (DAMP) e Perturbação de Hiperatividade com Défice de Atenção (PHDA); - Dinâmica de grupo: “Quem é o disléxico?”. Módulo II - 3 horas 2.1. O diagnóstico de dislexia - Desenvolvimento da linguagem; - Sinais de alerta na infância (indicadores precoces) e na idade escolar (indicadores tardios); - Leitura (descodificação grafofonémica e compreensão da leitura); - Expressão escrita (ortografia, sintaxe, acentuação, pontuação e grafomotricidade); - Critérios de diagnóstico (DSM-5). 2.2. Avaliação - Avaliação da leitura oral; - Avaliação da compreensão da leitura; - Avaliação especializada em equipa multidisciplinar; - Apresentação de exemplos práticos e aplicação de conhecimentos (trabalho de grupo); - Elaboração de relatórios pedagógicos compreensivos. Módulo III - 3 horas 3.1. Enquadramento legislativo da Educação Inclusiva - Decreto-lei n.º 54/2018 (princípios orientadores, definições operacionais e medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão); - Opções metodológicas subjacentes ao DL n.º 54/2018: Desenho Universal para a Aprendizagem (DUA) e Abordagem Multinível; - Linhas de atuação do Centro de Apoio à Aprendizagem no que toca aos alunos disléxicos. 3.2. Intervenção e reeducação da leitura e da escrita - Articulação com a família e restantes atores educativos; - Metodologias a adotar (ascendentes, multissensoriais…); - Estratégias a implementar (bottom up, fónicas…); - Recursos a mobilizar (construção de materiais, software open source e jogos didáticos); - O papel do docente de Educação Especial na reeducação da leitura e da escrita (intervenção direta); - O papel do docente de Educação Especial no aconselhamento aos docentes do ensino regular (consultoria), nomeadamente na planificação da ação educativa por referência ao DUA, e aos pais/encarregados de educação. Módulo IV - 3 horas 4.1. Instrumentos estruturantes da ação educativa - Linhas orientadoras para a elaboração de relatórios técnico-pedagógicos; - As adaptações ao processo de avaliação; - As adaptações curriculares não significativas (ACNS): sim ou não? - Apresentação de um relatório técnico-pedagógico de um aluno disléxico; - Aplicação prática dos conteúdos abordados (trabalho de grupo). 4.2. Monitorização do planeamento e da intervenção - Criação de instrumentos que permitam monitorizar a planificação da intervenção e a própria intervenção (com enfoque na necessidade de dar feedback aos alunos e aos encarregados de educação); - Redação de sínteses descritivas e avaliativas (para atas e memorandos); - Apresentação de exemplos práticos; - Dinâmica de grupo: simulação de situações de interação com encarregados de educação e alunos (mediante uma distribuição aleatória de cartões que orientam a tarefa). Módulo V - 3 horas 5. Apresentação de trabalhos e avaliação da Oficina de Formação.

Metodologias

Presencial As sessões presenciais serão momentos de reflexão conjunta, a qual decorrerá não só dos conteúdos teóricos, de documentos e de materiais disponibilizados pela formadora, mas também dos relatos de práticas vivenciadas pelos professores nas suas turmas, da análise de situações específicas ou, ainda, do resultado da aplicação de materiais produzidos em trabalho autónomo. Serão utilizadas metodologias ativas que promovam a participação continuada dos formandos, valorizando-se a experiência pedagógica e a aplicabilidade dos conhecimentos adquiridos durante a ação de formação. É com base neste aparato metodológico que os diferentes grupos irão realizar os trabalhos que, posteriormente, apresentarão ao grande grupo, privilegiando-se sempre a reflexão, o debate e a discussão de ideias. Trabalho Autónomo O trabalho autónomo será desenvolvido em contextos educativos, onde os formandos desenvolvem metodologias e práticas trabalhadas nas sessões presenciais, e concretizado através de um trabalho de natureza multidisciplinar, interdisciplinar e transdisciplinar, por forma a criar ambientes de aprendizagem inovadores e desafiantes.

Avaliação

A avaliação dos formandos decorre em conformidade com o Regime Jurídico da Formação Contínua, o n.º 2 do Artigo 46.º do ECD, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 15/2007, de 19 de janeiro e a Carta Circular CCPFC – 3 – 2007 – setembro. A avaliação dos formandos terá incidência em: Critérios/Parâmetros Participação/contributos: Participação nas sessões (dinâmica da participação e qualidade das intervenções) e partilhas sobre o trabalho autónomo desenvolvido (30%). Trabalho final (em equipa): Conceção, desenvolvimento e avaliação de um episódio de aula (qualidade dos materiais produzidos), tendo como referência as estratégias e os conteúdos abordados na oficina (50%). Produção de uma reflexão final, a título individual (20%). A avaliação final, que terá em conta os referidos parâmetros/critérios de classificação, será traduzida numa classificação expressa na escala de 1 a 10 valores: insuficiente (1 a 4,9 valores), regular (5 a 6,4 valores), bom (6,5 a 7,9 valores), muito bom (8 a 8,9 valores) e excelente (9 a 10 valores).

Bibliografia

American Psychiatric Association. (2014). Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais: DSM-5. Lisboa: Climepsi Editores. Moura, O., Pereira, M.,et Simões, M. (2018). Dislexia: Teoria, Avaliação e Intervenção. Lisboa: Pactor. Pereira, F. (Org.) (2018). Para uma Educação Inclusiva. Manual de apoio à prática. Lisboa: Ministério da Educação – Direção Geral de Educação. Shaywitz, S. (2003). Overcoming Dyslexia. Alfred A. Knopf. New York. Shaywitz, S. (2008). Vencer a Dislexia - Como dar resposta às perturbações da leitura em qualquer fase da vida. Porto: Porto Editora.

Anexo

Compreender_a_dislexia_-_da_avaliação_à_intervenção_CCPFC_-_Gestão_de__C9nENFs.html

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 17-01-2022 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
2 31-01-2022 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
3 14-02-2022 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
4 14-03-2022 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
5 23-03-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial

164
INSCREVER-ME

Ref. 10638 T2 Inscrições abertas até 31-12-2021

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109670/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 32.0 horas

Início: 25-01-2022

Fim: 15-03-2022

Regime: Presencial

Local: AE Manuel Teixeira Gomes

Formador

Anabela Marreiros Andrez

Destinatários

Professores do Grupo 230 do 2.º Ciclo do Ensino Básico e do Grupo 500 dos Ensinos Básico (3º Ciclo) e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira dos grupos 230, 500. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 230, 500.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Portimão e Monchique

Razões

O recurso à internet através de dispositivos móveis (tais como os smartphones, os iPads e os MP4) em muito contribui para suprimir as limitações da aprendizagem confinada ao contexto de sala de aula, oferecendo aos alunos a possibilidade de uma aprendizagem constante e em movimento. A análise dos dados obtidos após a implementação do percurso formativo na modalidade de oficina de formação “Milage Aprender+ em todas as disciplinas” permitiu concluir que o recurso às tecnologias móveis induziu de facto o desenvolvimento de recursos que melhoraram significativamente as competências dos alunos nas disciplinas dos formandos. De salientar também que o processo formativo desenvolvido permitiu aos formandos alterar a sua conceção original acerca deste tipo de artefactos, que deixaram de ser encarados como meras ferramentas de interação social para passarem a ser vistos como tecnologias com forte potencial pedagógico. Efetivamente, a transição de uma pedagogia da exposição para uma pedagogia da autonomia aponta para a adoção de abordagens pedagógicas ainda pouco praticadas nas nossas escolas, como a aprendizagem baseada em projetos, a aprendizagem mista, as aulas invertidas e a coavaliação. Nesta ação será utilizada a aplicação MILAGE APRENDER+ PROFESSORES, que é gratuita, para que os professores de Matemática desenvolvam materiais e conteúdos a disponibilizar aos alunos através da app MILAGE APRENDER+ na sua disciplina. Considerando todas as potencialidades desta ferramenta digital o propósito central desta ação é o de capacitar os docentes dos grupos de recrutamento destinatários para a utilização desta ferramenta digital, valorizando a iniciativa, a autonomia e a enculturação ativa desses professores na utilização da tecnologia.

Objetivos

Face à problemática subjacente a esta oficina, definem-se os seguintes objetivos: • Elaborar e aplicar atividades pedagógicas direcionadas para a aprendizagem dos alunos, apostando na resolução autónoma de exercícios/problemas na disciplina de matemática dos ensinos básico e secundário; • Apreender as perceções dos alunos sobre as suas experiências com o uso desta aplicação, nos espaços formais, não-formais e informais de aprendizagem; • Categorizar as potencialidades que emergirem com a interação desta aplicação no ensino e aprendizagem da matemática; • Envolver os professores participantes na definição de procedimentos de ação e na produção de materiais de intervenção adequados aos seus contextos de trabalho; • Aplicar, nos contextos pedagógico-didáticos, os materiais e exercícios produzidos; • Refletir sobre a prática e os resultados obtidos; • Otimizar o tempo de estudo e a autonomia dos alunos na aprendizagem pelo acesso às suas atividades didáticas em qualquer lugar e a qualquer hora; • Estimular a autonomia dos alunos na aprendizagem da matemática e, desse ponto de vista, a utilização em uso dos seus saberes na resolução criativa dos problemas.

Conteúdos

Na componente presencial, a oficina estrutura-se em 3 momentos: 1.º Momento: (6h) A oficina será previamente enquadrada por um ciclo de sessões sobre a problemática atual da educação online. A metodologia a adotar terá em conta as experiências intrínsecas e conhecimentos dos formandos, atendendo a que os mesmos são portadores de um repertório experiencial extremamente valioso que importa convocar e valorizar em contexto de formação. Assim, neste conjunto de sessões presenciais, serão escrutinados os aspetos teóricos, onde se abordará a aprendizagem móvel, o papel da autonomia na promoção do estudo, a sala de aula do futuro e se introduzirão as ferramentas para a produção de vídeo. 2.º Momento: (5h online síncronas) Em regime de b­learning, os formandos serão convidados a identificar atividades que estimulem a pesquisa e o desenvolvimento do conhecimento disciplinar por parte dos alunos, concebendo os meios mais eficazes de integrar essas atividade e exercícios investigativos no reforço do estudo autónomo dos alunos e no desenvolvimento das suas aprendizagens de matemática, numa lógica de trabalho colaborativo e de acordo com as suas necessidades. Estudar-se-ão boas práticas, utilizar-se-ão as ferramentas técnicas adequadas, produzir-se-ão materiais de intervenção concretos, considerados pelo conjunto de participantes como a resposta mais adequada ao melhoramento da sua ação educativa. 3.º Momento: (5h) Num terceiro momento, concomitante e conclusivo dos anteriores, far-se-á um trabalho de aplicação, experimentação e avaliação dos instrumentos de avaliação de aprendizagens. Abrir-se-ão espaços de debate e trocas de experiências que são, nestes casos, muito importantes para a aprendizagem conjunta, sendo os formandos convidados a partilhar as suas reflexões, perspetivas e propostas de intervenção. As 16 h de duração da ação serão assim distribuídas pelos conteúdos: Módulo 1 – Campo e problemática da educação online atual (3h) 1.ª Sessão (3h) • Estratégias e modelos para a educação online; Módulo 2 – Aplicação MILAGE Aprender+: A aprendizagem móvel e o papel da autonomia na produção do estudo e das aprendizagens na disciplina matemática (9h) 2.ª Sessão (4h) • Introdução à plataforma MILAGE Aprender+ pela exploração do aplicativo MILAGE Aprender+; • Introdução à plataforma MILAGE Aprender+ pela exploração da aplicação MILAGE Aprender+ Professores. • Introdução às ferramentas para a produção de vídeos. 3.ª Sessão (3h online síncronas) • Identificação das ferramentas disciplinares necessárias ao desenvolvimento de conhecimentos dos alunos pela pesquisa apoiada na resolução de problemas matemáticos relacionados com o contexto real; • Identificação das ferramentas disciplinares necessárias ao questionamento, explicação, elaboração e mecanismos de verbalização que contribuem para a resolução de problemas e competências de pensamento lógico-matemático; • Capacidades avançadas de edição de vídeos; • Apresentação das capacidades avançadas de edição de vídeo. 4.ª Sessão (2h online síncronas) • Sessão de trabalho no moodle: realização de uma atividade orientada sobre a integração, na plataforma MILAGE Aprender+, dos conteúdos da disciplina de matemática, em regime de trabalho de grupo; Módulo 3 – Discussão/reflexão dos produtos da formação e avaliação individual dos formandos (4h) 5.ª Sessão (4h) • Apresentação, discussão/reflexão e avaliação dos materiais elaborados pelos formandos. • Avaliação individual dos formandos.

Metodologias

Presencial Pretende-se que, nesta oficina de formação, as sessões presenciais sejam momentos de reflexão conjunta, a qual decorrerá dos conteúdos teóricos, de documentos e de materiais disponibilizados pelos formadores, de relatos de práticas, da análise de situações concretas ou, ainda, do resultado da aplicação de materiais produzidos em trabalho autónomo. Trabalho autónomo O trabalho autónomo estrutura-se nos seguintes momentos: 1.º MOMENTO – 6h – Prática Identificação de situações problema do dia-a-dia na gestão pedagógica da sala de aula que, em termos do desenvolvimento curricular, possam articular as competências em TIC com a exploração de recursos digitais e a sua aplicação no apoio à aprendizagem da Matemática. 2.º MOMENTO – 5h – Prática Os formandos irão construir materiais educativos para apresentação de conteúdos e execução de exercícios. 3.º MOMENTO – 5h – Prática Aplicação prática dos conceitos aprendidos e finalização dos exercícios investigativos com a inclusão de atividades de natureza disciplinar que potenciem nos alunos as suas destrezas na utilização das TIC e o desenvolvimento da capacidade de formular e resolver problemas e de comunicar e raciocinar em Matemática

Avaliação

Os formandos serão avaliados de forma contínua, ao longo do processo de formação. No final da ação, os formandos deverão realizar: - Uma reflexão individual sobre o trabalho empreendido e as suas implicações ao nível do desenvolvimento da aprendizagem da Matemática enquanto instrumento de interpretação (e intervenção) da realidade, do pensamento humano e de grande universalidade; - Um trabalho individual final que consistirá num relatório sobre o trabalho desenvolvido na app MILAGE Aprender+ incidindo sobre o processo de elaboração, aplicação e avaliação dos recursos didáticos apresentados na aplicação digital e que fará parte integrante desse relatório. Os parâmetros e critérios a utilizar são: qualidade da participação no contexto dos objetivos/efeitos a produzir (30%), reflexão crítica (20%) e a qualidade do trabalho autónomo e do trabalho individual (50%). O resultado final é depois traduzido numa classificação quantitativa expressa na escala de 1 a 10 valores a que acresce uma menção qualitativa, conforme com o Regime Jurídico da Formação Contínua e a Carta Circular n.º 3/2007 do CCPFC.

Bibliografia

• Andreoli, V. (2007). O Mundo Digital. Lisboa: Editorial Presença. Campbell, S (2006).Perceptions of mobile phones in college classrooms: ringing, cheating, and classroom policies. Communication Education, 55, 280-294. Coutinho, C. P. (2009). Web 2.0 technologies as cognitive tools: preparing future k-12 teachers. Association for the Advancement of Computing in Education (AACE) 3112-3119. • Guillen, Michael (2013). Pontes para o infinito. O lado humano das matemáticas. 3ª edição, Lisboa. Ciência Aberta: Gradiva • Kern, R., et Warschauer, M. (2000). Theory and Practice of Network-Based Language Teaching. Disponível em: http://www.gse.uci.edu/person/markw/nbltintro.html.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 25-01-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
2 01-02-2022 (Terça-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Presencial
3 08-02-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 15-02-2022 (Terça-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Online síncrona
5 15-03-2022 (Terça-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Presencial

171
INSCREVER-ME

Ref. 11946T2 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109572/20

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 16-11-2021

Fim: 11-01-2022

Regime: Presencial

Local: AE Eng. Nuno Mergulhão

Formador

Francisco Manuel Patrício Vaz Balancho

Destinatários

Professores dos Grupos 100 e 110

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira dos grupos 100, 110. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 100, 110.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Portimão e Monchique

Razões

O Ministério da Educação está a levar a efeito o «Programa de Educação Estética e Artística» (PEEA) nos contextos da Educação Pré - Escolar e do 1º Ciclo do Ensino Básico. O referido programa inclui, num dos seus eixos de intervenção, a formação de Educadores de Infância e dos Professores do 1º Ciclo do Ensino Básico, nas áreas de Artes Visuais, Dança, Expressão Dramática / Teatro e Música. Com o objetivo de reforçar e alargar os conhecimentos teórico-práticos adquiridos na oficina Desenvolvimento de Curricular em Artes propõe-se um curso de formação em Música para o 1º Ciclo do Ensino Básico que vise assegurar um aprofundamento e atualização dos conteúdos ministrados na referida oficina do PEEA. Acrescenta-se que este curso procura satisfazer uma necessidade manifestada pelos formandos nos questionários ministrados na supramencionada oficina.

Objetivos

• Perceber a importância do desenvolvimento musical na infância para a adequação das metodologias e estratégias de ensino-aprendizagem em Música/Educação Musical; • Constituir um corpus de conhecimento sobre o Desenvolvimento Curricular em Música/Educação Musical; • Analisar, criticamente, as orientações e o currículo em Educação Artística, especificamente, na área da Expressão e Educação Musical no 1º Ciclo do Ensino Básico. • Selecionar repertório musical, de acordo com propósitos de aprendizagem musical. • Dominar metodologias e técnicas da pedagogia musical adequadas ao 1º Ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos

• Introdução ao desenvolvimento musical na infância (dos 6 aos 10 anos) – 2 horas; • Modelos Pedagógicos em Educação Musical – Eurrítmica de Dalcroze, Pedagogia Willems, Orff-schulwerk, Teoria da Aprendizagem Musical de Edwin Gordon, propostas pedagógicas de John Paynter e Murray Schafer – 3 horas; • Orientações e currículo em Educação Artística - Expressão e Educação Musical no 1º Ciclo do Ensino Básico – 3 horas; • Repertório musical: critérios de escolha de canções, jogos prosódicos, peças para escuta orientada - 3 horas; • Metodologia e técnicas de ensino de canções e jogos prosódicos - 2 horas; • Escuta orientada – sugestões de atividades - 2 horas; • O movimento como atividade musical – 3 horas; • Planificação de atividades musicais no 1º Ciclo do Ensino Básico – 5 horas; • A avaliação em Música no 1º Ciclo do Ensino Básico – 2 horas.

Metodologias

As sessões terão um carácter teórico-prático. Far-se-á a explicação didático-pedagógica de cada conteúdo, seguindo-se exercícios em pequeno e grande grupo. Ao longo da formação pretende-se que cada formando construa o seu próprio modelo de prática pedagógica, aplicando-a ao seu contexto pessoal. As referidas sessões desenrolar-se-ão da seguinte forma: • Sessão teórica sobre desenvolvimento musical na infância e o estado da arte no domínio da investigação em pedagogia e psicologia da música; • Partilha, pelos participantes, das suas experiências formativas, discutindo-se os vários modelos de desenvolvimento curricular em Música; • Sessões teóricas e práticas sobre Modelos Pedagógicos em Educação Musical; • Partilha das propostas de atividades em Música elaboradas pelos formandos; • Autoavaliação do formando - pontos positivos e negativos da sua prática, dificuldades/facilidades sentidas; • Comentário do formador e dos restantes formando (ir-se-á privilegiar o diálogo como forma de consciencialização e de mudança do grupo/individuo); • Avaliação da formação.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua, de acordo com os seguintes critérios: • Processo de formação ( assiduidade/pontualidade; partilha de conhecimentos; participação nas atividades das sessões; realização das tarefas propostas) - 40% • Projeto e reflexão crítica - 60%

Bibliografia

Companhia de Música Teatral (2006). Enciclopédia da Música com Bicho - Tomo I Caracol. Lisboa: Companhia de Música Teatral. • Companhia de Música Teatral (2006). Enciclopédia da Música com Bicho-Tomo II Borboleta. Lisboa: Companhia de Música Teatral. Deliège, I., & Sloboda, J. (Eds.) (1996). Musical beginnings: origins and development of musical competence. Oxford: Oxford University Press. Gordon, E. (2000). Teoria da Aprendizagem Musical: Competências, Conteúdos e Padrões. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian. Hargreaves, D. (2001). The Developmental Psychology of Music. Cambridge: Cambridge University Press.

Observações

Prioridade: docentes do AE MTG

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 16-11-2021 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
2 23-11-2021 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
3 30-11-2021 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
4 07-12-2021 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
5 14-12-2021 (Terça-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Presencial
6 04-01-2022 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
7 06-01-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
8 11-01-2022 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial

165

Ref. 11757 T5 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-106849/19

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 16-11-2021

Fim: 22-02-2022

Regime: Presencial

Local: AE Poeta António Aleixo

Formador

Simone Lopes Azevedo

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva a progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Portimão e Monchique

Razões

A avaliação pedagógica tem assumido uma centralidade inegável nas políticas educativas e curriculares, com efeitos concretos nas práticas de ensino e aprendizagem, designadamente na promoção do “sucesso escolar”. A publicação do Decreto-Lei nº 55/2018, de 6 de julho, consagra mudanças significativas ao nível do currículo, assumindo um dos seus princípios orientadores: a “afirmação da avaliação das aprendizagens como parte integrante da gestão do currículo enquanto instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens”. Refere ainda o caráter formativo da avaliação pedagógica como um dos pilares da melhoria da qualidade do ensino e da aprendizagem. Importa, pois, que os professores consolidem estas mudanças de modo contextualizado e que aprofundem competências e conhecimentos inerentes ao processo de avaliação das aprendizagens, nomeadamente, através de desenvolvimento de projetos pedagógicos e didáticos em torno de práticas de avaliação formativa, feedback e participação, critérios de avaliação e processos de recolha de informação. Deste modo, visa-se capacitar e apoiar os docentes para a construção dos recursos inovadores necessários e ajustados aos seus contextos educativos específicos, promovendo-se ainda a implementação e análise dos mesmos, tendo em vista o seu aperfeiçoamento ou reformulação.

Objetivos

- Contribuir para o desenvolvimento de competências e conhecimentos no domínio da avaliação, em geral, e da avaliação pedagógica, em particular, congruentes com o real conteúdo das orientações constantes nos documentos legais; - Promover práticas de trabalho colaborativo e cooperativo na construção e desenvolvimento de projetos de avaliação pedagógica em contexto de sala de aula; - Elaborar recursos educativos de suporte ao desenvolvimento dos projetos de avaliação pedagógica; - Permitir a troca de materiais e experiências, o esclarecimento de dúvidas e a geração de ideias e projetos de natureza pedagógica e didática; - Incrementar práticas de formação de natureza investigativa que confiram competências aos professores para lidar com a mudança e a inovação no âmbito da avaliação pedagógica.

Conteúdos

1. Enquadramento curricular: documentos de referência – 3 horas; 2. Natureza e Fundamentos da Avaliação - 1 hora; 3. Avaliação formativa e avaliação sumativa - 4 horas; 4. Feedback: natureza, distribuição e utilização por alunos e professores- 4 horas; 5.Aprendizagens Essenciais, Critérios de avaliação, Descritores de Níveis de Desempenho e de Standards. - 4 horas; 6. Processos de recolha de informação - 4 horas; 7. Apresentação, discussão e avaliação dos projetos e materiais desenvolvidos no âmbito da oficina - 5 horas.

Metodologias

Sessões presenciais Neste âmbito, os formandos desenvolverão trabalho colaborativo e cooperativo, com o devido enquadramento teórico, em torno da construção de projetos e de materiais para a respetiva implementação em contexto real de aprendizagem, assim como a reflexão crítica, a par e passo, sobre os resultados obtidos e as mudanças que deverão ser adotadas. Sessões autónomas Estas sessões serão realizadas em contexto real de aprendizagem com o desenvolvimento e a aplicação dos projetos pedagógicos e didáticos, assim como dos materiais elaborados numa lógica de investigação-ação, sendo criada uma comunidade de prática.

Avaliação

De acordo com o RJFCP – Decreto-Lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro - e nos termos dos nºs 5 e 6, do artigo 4.º do Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio, valorizando-se uma lógica formativa e de acompanhamento. Assim, a avaliação dos formandos terá incidência: (1) Na participação e no trabalho contínuo realizado ao longo das sessões presenciais; (2) Na componente de trabalho individual, tendo em conta a qualidade dos projetos e materiais produzidos e apresentados em plenário.

Bibliografia

Brookhardt, S. (2013). How to create rubrics for formative assessment and grading. ASCD: Alexandria, Virginia. Brookhardt, S. (2008). How to give effective feedback to your students. ASCD: Alexandria, Virginia. Fernandes, D. (2011). Articulação da aprendizagem, da avaliação e do ensino: Questões teóricas, práticas e metodológicas. J. M. DeKetele & M. P. Alves (Orgs.), Do currículo à avaliação, da avaliação ao currículo, pp. 131-142. Porto: Porto Editora. [http://repositorio.ul.pt/handle/10451/6988] Fernandes, D. (2004). Avaliação das aprendizagens: Uma agenda, muitos desafios. Cacém: Texto Editores. [http://repositorio.ul.pt/handle/10451/5509]

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 16-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
2 23-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
3 30-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
4 07-12-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
5 11-01-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
6 18-01-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
7 25-01-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
8 08-02-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
9 21-02-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
10 22-02-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial

172

Ref. 10434 T1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC- 103007/19

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 30.0 horas

Início: 15-11-2021

Fim: 13-12-2021

Regime: Presencial

Local: online (ao abrigo da Carta Circular 02/2021 do CCPFC)

Formador

Sandra Maria Domingues Gonçalves Correia

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário e Professores Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira dos grupos 100, 110, 120, 200, 210, 220, 230, 240, 250, 260, 290, 300, 310, 320, 330, 340, 350, 360, 400, 410, 420, 430, 500, 510, 520, 530, 540, 550, 560, 600, 610, 620, 910, 920, 930. Para efeitos de aplicação do artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva a progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Portimão e Monchique

Razões

A designação “educação inclusiva”, objetivo primeiro de qualquer sistema educativo, pressupõe à partida o atendimento à diversidade de necessidades educativas. Por conseguinte, dada a heterogeneidade da população discente, torna-se indispensável, para garantir a aprendizagem de todos, planificar atividades pedagógicas inclusivas e diversificadas, que contemplem os distintos perfis, ritmos e estilos de aprendizagem dos aprendentes. Esta nova forma de planificar, ancorada no Desenho Universal para a Aprendizagem (DUA), uma das principais opções metodológicas do DL n.º 54/2018, impõe mudanças significativas, quer no modo de perspetivar o papel e as funções da escola, dos professores e de outros atores educativos, quer na forma de desenvolver práticas pedagógicas eficazes que garantam a aprendizagem de cada um dos alunos (CAST, 2011; Meyer, Rose & Gordon, 2014).

Objetivos

Com esta ação de formação, pretende-se: - Capacitar os docentes para aperfeiçoarem a qualidade da ação educativa, indo ao encontro das necessidades de cada um dos alunos, diversificando as formas de apresentação e de exploração dos conteúdos curriculares; - Potenciar a consciencialização dos docentes relativamente à importância da planificação da ação educativa para a criação de ambientes inclusivos (ricos em oportunidades de participação); - Dar a conhecer estratégias que permitam operacionalizar os princípios fundamentais do DUA: (i) proporcionar múltiplos meios de representação; (ii) proporcionar múltiplos meios de ação e de expressão e (iii) proporcionar múltiplos meios de envolvimento. - Levar os docentes a refletir sobre as práticas educativas desenvolvidas com a diversidade de alunos, equacionando a necessidade de um verdadeiro trabalho em equipa.

Conteúdos

Módulo I - 4 horas 1.1. Apresentação da Oficina de Formação e organização dos trabalhos - Apresentação da metodologia de realização da ação; - Caracterização das práticas pedagógicas do grupo de formandos. 1.2. Enquadramento legislativo em Educação Inclusiva - Decreto-lei n.º 54/2018 (princípios orientadores, definições operacionais e medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão); - Opções metodológicas subjacentes ao DL n.º 54/2018: DUA e Abordagem Multinível; - Recursos específicos de apoio à aprendizagem e à inclusão; - Centro de Apoio à Aprendizagem: definição e linhas de atuação. Módulo II - 4 horas 2.1. Aspetos fundamentais do DUA - Origem do conceito e historial; - Princípios do DUA: (1) Proporcionar múltiplos meios de representação; (2) Proporcionar múltiplos meios de ação e expressão; (3) Proporcionar múltiplos meios de envolvimento; - O funcionamento do cérebro e a aprendizagem; - As redes neuronais (de reconhecimento, estratégica e afetiva). 2.2. O desenho do currículo - (Re)desenhar o currículo em função do atendimento à diversidade; - As quatro componentes do currículo: objetivos, avaliação, métodos e materiais; - Flexibilidade curricular enquanto princípio orientador da gestão do currículo (que deverá ser aberto, flexível e acessível); - Apresentação de exemplos práticos e aplicação de conhecimentos. Módulo III - 4 horas 3.1. Planificação da ação educativa - Pressupostos do DUA: identificação/seleção da informação a ser aprendida, aplicação de estratégias adequadas para a processar e envolvimento nas tarefas de aprendizagem; - Formulação de objetivos que respeitem as necessidades educativas dos alunos (as suas singularidades, os seus estilos, perfis e ritmos de aprendizagem, os seus interesses…); - Planificação conjunta e flexível de atividades (acessíveis, facilitadoras e potenciadoras de aprendizagens significativas); - Seleção de recursos a mobilizar para a consecução das atividades; - Estabelecimento de critérios de avaliação adequados à diversidade; - Aplicação prática dos conteúdos abordados. 3.2. Monitorização do planeamento e da intervenção - Criação de listas de indicadores (checkpoints), por referência aos objetivos traçados, que permitam monitorizar a planificação da intervenção e a própria intervenção; - Reflexividade na docência (funções da escola e dos docentes; importância de uma avaliação e de uma intervenção compreensivas; relevância do trabalho em equipa). Módulo IV - 3 horas 4. Apresentação de trabalhos e avaliação da Oficina de Formação.

Metodologias

Presencial As sessões presenciais serão momentos de reflexão conjunta, a qual decorrerá não só dos conteúdos teóricos, de documentos e de materiais disponibilizados pela formadora, mas também dos relatos de práticas vivenciadas pelos professores nas suas turmas, da análise de situações específicas ou, ainda, do resultado da aplicação de materiais produzidos em trabalho autónomo. Serão utilizadas metodologias ativas que promovam a participação continuada dos formandos, valorizando-se a experiência pedagógica e a aplicabilidade dos conhecimentos adquiridos durante a ação de formação. É com base neste aparato metodológico apoiado naqueles materiais e nas atividades práticas individuais, sob a orientação da formadora, que os diferentes grupos irão realizar os trabalhos que, posteriormente, apresentarão ao grande grupo, privilegiando-se sempre a reflexão, o debate e a discussão de ideias. Trabalho autónomo O trabalho autónomo será desenvolvido em contextos educativos, onde os formandos desenvolvem metodologias e práticas trabalhadas nas sessões presenciais e concretizado através de um trabalho de natureza multidisciplinar, interdisciplinar e transdisciplinar, por forma a criar contextos de aprendizagem inovadores e desafiantes.

Avaliação

A avaliação dos formandos decorre em conformidade com o Regime Jurídico da Formação Contínua, o nº 2 do Artigo 46º do ECD, aprovado pelo Decreto-Lei nº 15/2007, de 19 de Janeiro e a Carta Circular CCPFC – 3 – 2007 – Setembro. A avaliação dos formandos terá incidência em: Critérios/Parâmetros Participação/Contributos: Participação nas sessões (dinâmica da participação e qualidade das intervenções) e partilhas sobre o trabalho autónomo desenvolvido. (30%) Trabalho final (em equipa): - Conceção, desenvolvimento e avaliação de um episódio de aula, tendo como referência as abordagens realizadas na ação (Qualidade dos materiais produzidos). (50%) - Produção de uma reflexão final, individual. (20%) A avaliação final, que terá em conta os referidos parâmetros/critérios de classificação, será traduzida numa classificação expressa na escala de 1 a 10 valores: insuficiente (1 a 4,9 valores), regular (5 a 6,4 valores), bom (6,5 a 7,9 valores), muito bom (8 a 8,9 valores) e excelente (9 a 10 valores).

Bibliografia

CAST. (2011). Universal Design for Learning: guidelines version 2.0. Wakefield, MA: Author. Center for Applied Special Technology [CAST]. Disponível em: http://www.cast.org/udl/index.html CAST. (2014). Universal Design for Learning: Theory and Practice. Disponível em: http://udltheorypractice.cast.org Meyer, A., Rose, D. H., & Gordon, D. (2014). Universal design forlearning: Theory and practice. Wakefield: CAST Professional Publishing Nunes, C., & Amaral, I. (2015). Desenho Universal para a Aprendizagem: Construindo práticas pedagógicas inclusivas. Da Investigação às Práticas, 5(2), 126-143. Pereira, F. (Org.) (2018). Para uma Educação Inclusiva. Manual de apoio à prática. Lisboa: Ministério da Educação – Direção Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular,

Anexo

Desenho_Universal_para_aprendizage-_um_facilitador_da_inclusão_CCPFC_-_7Gk9P3W.html

Observações

Data de validade da acreditação da ação: 14-02-2022

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 15-11-2021 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 22-11-2021 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 29-11-2021 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 06-12-2021 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
5 13-12-2021 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona

155

Ref. 11660 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-112386/21

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 03-11-2021

Fim: 16-12-2021

Regime: Presencial

Local: online (ao abrigo da Carta Circular 02/2021 do CCPFC)

Formador

Rita Diogo de Almeida Guapo

Destinatários

Educadores de Infância e Professores do Ensino Básico e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira dos grupos 100, 110, 120, 200, 210, 220, 230, 240, 250, 260, 290, 300, 310, 320, 330, 340, 350, 360, 400, 410, 420, 430, 500, 510, 520, 530, 540, 550, 600, 610, 620, 910, 920, 930, TEC.ESP.. Para efeitos de aplicação do artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva a progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Portimão e Monchique

Razões

A Escola, enquanto organização empenhada em promover o bem estar e a saúde mental, constitui o espaço privilegiado para o desenvolvimento de ações que promovam a aquisição de competências pessoais, cognitivas e socioemocionais que permitam às crianças e jovens aprender a gerir mais eficazmente a sua saúde e, simultaneamente, agir de uma forma empoderada sobre os fatores que a influenciam. De acordo com o Programa Nacional de Saúde Escolar (PNSE), os desafios sociais atuais trazem repercussões significativas à saúde das comunidades nas quais as crianças e jovens se integram, pelo que as mesmas devem ser compreendidas e alvo de intervenção prioritária e estruturada em contexto escolar. Promover o desenvolvimento de competências socioemocionais, aumentando os fatores protetores na infância e adolescência, constitui-se como uma ferramenta essencial na promoção da saúde mental e na prevenção do risco. As práticas educativas não podem dissociar-se, assim, do seu papel privilegiado no que se refere à promoção da saúde, como conceito holístico e global, sendo fundamental o reconhecimento da importância do trabalho dos docentes no desenvolvimento de ações estruturadas de promoção de competências socioemocionais, ajudando as crianças a reconhecerem e gerirem as suas emoções, definirem metas positivas para a sua vida, desenvolverem a capacidade de compreender a perspetiva do outro, alicerçando relações mais positivas.

Objetivos

1. Conhecer a importância do desenvolvimento de competências socioemocionais em contexto escolar; 2. Contribuir para a promoção da saúde e da cidadania na escola, mediante a implementação de intervenções estruturadas de promoção de competências socioemocionais; 3. Desenvolver conhecimentos ao nível das principais características/ necessidades do desenvolvimento infantil; 4. Promover a reflexão sobre os diferentes desafios e problemáticas educativas; 5. Conceber estratégias e produzir materiais para implementar atividades com os alunos no âmbito do treino de competências socioemocionais.

Conteúdos

Sessão 1 - (sessão presencial – 2 horas) Introdução ao tema da Oficina; aspetos práticos; Apresentação dos formadores e dos formandos; Sessão 2 – (sessão presencial – 4 horas) Padrões relacionais, intenção, atenção e atitude; Comportamentos, necessidades e limites Sessão 3 – (sessão presencial – 4 horas) Funcionamento do cérebro (cérebro trino) Reatividade e regulação emocional O que são emoções e pensamentos; Emoções básicas Sessão 4 – (sessão presencial – 4 horas) Dinâmica de sala de aula e clima relacional e emocional; necessidades do grupo, personalidades e estratégias pró-ativas positivas de resposta a essas necessidades Exercícios práticos e reflexões críticas Sessão 5 – (sessão presencial – 4 horas) Planeamento de projeto de implementação de competências socio-emocionais em contexto de sala de aula Sessão 6 - (sessão presencial – 3 horas) Trabalho autónomo sobre o tema (25 horas) Aplicação das atividades em diversos contextos escolares Elaboração de relatório sobre o processo de aplicação e reflexão produzida no Agrupamento de escolas e sobre a continuidade a dar às atividades realizadas e práticas adotadas Preparação da apresentação pública do trabalho realizado e das propostas de intervenção futura. Utilização do referencial de Educação para a Saúde como ferramenta de avaliação e monitorização dos projetos de Educação para a Saúde das escolas. Sessão 7 – (sessão presencial – 3 horas) Reflexão crítica e apresentação dos projetos desenvolvidos durante as horas de trabalho autónomo. Avaliação da Oficina.

Metodologias

Presencial A componente presencial da Oficina decorrerá em sessões teórico-práticas (21 horas para a abordagem dos conteúdos previstos e orientação para a produção/implementação de atividades e materiais e 4 horas para a apresentação do trabalho desenvolvido). A metodologia a utilizar basear-se-á em dinâmicas vivenciais e participativas, durante as quais os formandos terão a oportunidade de, individualmente ou em grupo, participar em diversos exercícios práticos, quer para reflexão e partilha no âmbito das práticas educativas, quer para aplicação e adaptação no seu contexto diário de trabalho em sala de aula. Trabalho autónomo Trabalho autónomo sobre o tema (25 horas) ; - Consistirá na implementação de um programa de desenvolvimento de competências socioemocionais, a realizar de forma autónoma pelos docentes, e cujos resultados serão apresentados na última sessão presencial; - Aplicação das atividades em diversos contextos escolares; - Elaboração de relatório sobre o processo de aplicação e reflexão produzida no Agrupamento de escolas e sobre a continuidade a dar às atividades realizadas e práticas adotadas; - Preparação da apresentação pública do trabalho realizado e das propostas de intervenção futura; - Utilização do referencial de Educação para a Saúde como ferramenta de avaliação e monitorização dos projetos de Educação para a Saúde das escolas.

Avaliação

Os participantes procedem à apresentação de um relatório crítico sobre o trabalho desenvolvido e sua importância na motivação, na melhoria das aprendizagens e no desenvolvimento global dos alunos. Avaliação final do formando: - Ponderações: 25% participação nas sessões e 75% para os trabalhos desenvolvidos e relatório final do formando. - Para a avaliação final individual de cada professor será usada uma escala quantitativa de 1 a 10 valores: Excelente - de 9 a 10 valores; Muito Bom - de 8 a 8,9 valores; Bom - de 6,5 a 7,9 valores; Regular – de 5 a 6,4 valores; Insuficiente – de 1 a 4,9 valores. - A classificação final e as horas de formação para a progressão na carreira docente constarão no certificado final a emitir pelo Centro de Formação.

Bibliografia

Goleman, Daniel. Inteligência emocional. Temas e debates, 2010. Nelsen, Jane. Disciplina Positiva. Editora Manole, 2015 Siegel, Daniel e Bryson, Tina. Disciplina sem Dramas: Segredos da Neurociência para educar filhos tranquilamente. Lua de Papel, 2015. Siegel, Daniel e Bryson, Tina. O cérebro da criança. Casa das Letras, 2018 Webster-Stratton, Carolyn. Como Promover as Competências Sociais e Emocionais das Crianças. Psiquilibrios.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 03-11-2021 (Quarta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online síncrona
2 06-11-2021 (Sábado) 09:00 - 12:30 3:30 Online síncrona
3 11-11-2021 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 18-11-2021 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 20-11-2021 (Sábado) 09:00 - 12:30 3:30 Online síncrona
6 24-11-2021 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 02-12-2021 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 16-12-2021 (Quinta-feira) 18:30 - 22:30 4:00 Online síncrona

173

Ref. 10531T3 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-106442/19

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 28-10-2021

Fim: 13-12-2021

Regime: Presencial

Local: AE MTG

Formador

José Luís Quinteiro Amaral

Destinatários

Professores dos Grupos 110, 550

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira dos grupos 110, 550. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 110, 550.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Portimão e Monchique

Razões

Torna-se cada vez mais necessário diversificar as formas de ensino e de aprendizagem por forma a motivar as crianças e os jovens para realizarem aprendizagens significativas e desenvolverem competências ao nível do raciocínio que lhes permitam pôr em equação e resolver problemas. Neste sentido, é necessário dotar os docentes com conhecimentos sobre a programação e pensamento computacional tangível, para que estes proporcionem aos alunos uma nova forma de aprender a criar, aprender a planear, aprender a resolver problemas, construindo algo com uma finalidade. As Escolas de 1º Ciclo proponentes desta formação, pretendem facultar, como oferta de Escola, esta área de iniciação à programação e à robótica, pelo que solicitam apoio para a formação dos seus professores.

Objetivos

Capacitar os professores de 1º ciclo e de informática para trabalharem com os alunos do 1º Ciclo na iniciação à programação e à probótica deverão ser capazes de: - entender e aplicar princípios e conceitos fundamentais das Ciências da Computação;  descrever e representar simbolicamente sequências de ações de atividades do quotidiano;  planificar sequências de instruções que permitam a realização de uma dada tarefa;  analisar algoritmos, identificando o seu resultado;  identificar um problema e decompô-lo em subproblemas;  resolver problemas, criar histórias animadas e construir jogos com recurso ao desenvolvimento de programas informáticos;  usar as Tecnologias de Informação e Comunicação de forma responsável, competente, segura e criativa;

Conteúdos

3 horas - Pensamento Computacional - Atividades de Ciências da Computação sem Computadores - Código Binário 3 horas - Algoritmos (ciclos, sequências, eventos, condições, operadores, variáveis,…) - Criação de algoritmos de tarefas executadas no dia-a-dia (lavar os dentes; plantar uma semente;…) 5 horas - Exploração de atividades online (lightbot, code.org, codemonkey, codespark, blockly, runmarco, …) 7 horas - Linguagens de programação visual (Scratch, Kodu Game Lab) 4 horas - Robótica 3 horas - Apresentação dos materiais produzidos e resultado da sua aplicação em sala de aula

Metodologias

Presencial A ação de formação seguirá uma metodologia teórico-prática, combinando momentos de exposição de conteúdos com reflexão participada a partir de tarefas realizadas individualmente e/ou em grupo. Na componente teórica, seguir-se-á uma metodologia mais expositiva, centrada na transmissão de conteúdos de referência e estruturantes e na componente prática, privilegiar-se-á uma dinâmica de natureza mais ativa, centrada na realização de exercícios que permitam uma melhor compreensão dos conteúdos. Apresentação e discussão do trabalho realizado na componente de trabalho autónomo Trabalho Autónomo Produção de materiais pedagógico/didáticos relacionados com os conteúdos da ação e aplicação dos mesmos , com os alunos, em sala de aula. O resultado e as questões emergentes desta produção e aplicação de materiais serão discutidos nas sessões presenciais conjuntas

Avaliação

• Participação/Realização das Tarefas nas Sessões/Pontualidade -25% • Produção de Trabalhos e/ou Materiais/Aplicação em contexto escolar - 60% • Reflexão crítica individual -15% O resultado final é traduzido numa classificação quantitativa expressa na escala de 1 a 10 valores e de acordo com o disposto no Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio

Bibliografia

“Linhas orientadoras para a Robótica”. Disponível em http://www.erte.dge.mec.pt/sites/default/files/linhas_orientadoras_para_a_robotica.pdf “Linhas orientadoras para o Ensino da Programação no 1º ciclo”. Disponível em http://www.erte.dge.mec.pt/sites/default/files/Projetos/Programacao/IP1CEB/linhas_orientadoras.pdf

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 28-10-2021 (Quinta-feira) 18:15 - 21:00 2:45 Presencial
2 03-11-2021 (Quarta-feira) 18:15 - 21:00 2:45 Presencial
3 11-11-2021 (Quinta-feira) 18:15 - 21:00 2:45 Presencial
4 18-11-2021 (Quinta-feira) 18:15 - 21:00 2:45 Presencial
5 22-11-2021 (Segunda-feira) 18:15 - 21:00 2:45 Online assíncrona
6 25-11-2021 (Quinta-feira) 18:15 - 21:00 2:45 Presencial
7 02-12-2021 (Quinta-feira) 18:15 - 21:00 2:45 Presencial
8 06-12-2021 (Segunda-feira) 18:15 - 21:00 2:45 Online síncrona
9 13-12-2021 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona

156

Ref. 11349 T2 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-106439/19

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 30.0 horas

Início: 28-10-2021

Fim: 27-01-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Poeta António Aleixo

Formador

Jorge Semiao

Cristiano Lourenço Cabrita

Roberto Célio Lau Lam

Destinatários

Professores dos Grupos 500, 510,530, 540 e 550

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira dos grupos 500, 510, 530, 540, 550. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 500, 510, 530, 540, 550.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Portimão e Monchique

Razões

As atuais mudanças em curso no quadro educativo encontram terreno fértil nos novos documento curriculares (DL 54/2018, e DL 55/2018, de 6 de julho e as estratégias para a cidadania e desenvolvimento, inclusão, e gestão dos Domínios de Autonomia Curricular no âmbito da Autonomia e Flexibilidade Curricular), reforçando e estabelecendo o desenvolvimento de um Currículo para o Século XXI. A componente experimental dos programas das áreas da matemática, das ciências, engenharias e tecnologias relevam a necessidade de fomentar o desenvolvimento de competências que permitam a aplicação das novas tecnologias relacionadas com a execução de projetos individuais ou em grupo que podem ser realizados nas escolas e que requerem alguns conhecimentos específicos do seu dia-a-dia. O Arduino é uma plataforma de prototipagem, criada em 2005, com o objetivo de permitir o desenvolvimento de controlo de sistemas interativos de baixo custo acessível a todos. Usando a metodologia do inquiry based learning, far-se-á a introdução à programação com microcontroladores arduinos visando a utilização pedagógica de sensores na sala de aula. Nesta ação, a utilização das tecnologias no ensino/aprendizagem implicará a criação de atividades pedagógico-didáticas de conexão entre saberes de diversas disciplinas, que visarão o desenvolvimento de atividades pedagógicas em sala de aula direcionadas para a resolução de problemas específicos do quotidiano dos alunos e se traduzirão num ganho de motivação para a aprendizagem. Esta ação pretende dotar o público-alvo de ferramentas que lhes permitam a utilização de hardware e software, com base na tecnologia Arduino para poderem adotar, de forma transversal, um ensino mais diversificado e tecnologicamente mais evoluído

Objetivos

A ação visa o aprofundamento de conhecimentos da área da eletrónica em ligação com a informática, a matemática e a física química num processo ensino/aprendizagem sustentado na resolução de problemas reais e multidisciplinares. Objetivos específicos: • Fomentar a troca de experiências, conhecimentos e ideias; • Elaborar materiais e atividades transdisciplinares para desenvolver em ambiente da sala de aula; • Capacitar os formandos com conhecimentos: i) de programação de microcontroladores Arduino para a comunicação entre dispositivos; ii) de interligação entre sensores e a Web. • Compreender o funcionamento da arquitetura cliente/servidor; • Integrar código HTML e Javascript em páginas WEB; • Construir e difundir conteúdos na Web recorrendo às mais atuais plataformas de desenvolvimento; • Estender a difusão de informação de sensores aos dispositivos móveis; • Envolver os participantes na definição de procedimentos de ação e na produção de materiais de intervenção adequados aos seus diferentes contextos de trabalho; • Aplicar, nesses contextos, os materiais e exercícios produzidos; • Refletir sobre as práticas desenvolvidas e os resultados obtidos.

Conteúdos

A componente presencial estrutura-se em 3 momentos: 1.º Momento: (5h) A ação será enquadrada por um ciclo de sessões dedicado aos fundamentos da utilização pedagógica do Arduíno para sala de aula, apresentando-se algumas propostas práticas para serem replicadas com os alunos na sala de aula. Estas atividades podem ser integradas nas atividades curriculares dos grupos destinatários da ação de acordo com os conhecimentos prévios dos alunos. A metodologia a adotar terá em conta as experiências intrínsecas e conhecimentos dos formandos, atendendo a que os mesmos são portadores de um repertório experiencial extremamente valioso que importa convocar e valorizar em contexto de formação. 2.º Momento: (4h) Os formandos serão convidados a potenciar as condições de aplicação da tecnologia, de forma a suportar a pedagogia e a aprendizagem em ferramentas especificamente orientadas para uma realidade mais operacional e focada no ambiente real, com base na tecnologia Arduino e nos sensores web. Estudar-se-ão boas práticas, utilizar-se-ão as ferramentas técnicas adequadas, produzir-se-ão materiais de planeamento e gestão curricular traduzidos em projetos pedagógicodidáticos de intervenção. 3.º Momento: (6h) Num terceiro momento, concomitante e conclusivo dos anteriores, far-se-á um trabalho de aplicação, experimentação e avaliação das ferramentas/materiais produzidos que permitirá aos participantes adquirirem conhecimentos dos sistemas de monitorização automática de dados na prática didática experimental. Abrir-se-ão espaços de debate e trocas de experiências que são muito importantes para a aprendizagem conjunta, sendo os formandos convidados a partilhar as suas reflexões, perspetivas e propostas de intervenção. As 15h de duração da ação serão assim distribuídas: Módulo I - Extensão das funcionalidades de Comunicação do microcontrolador Arduino. (3h) • Generalidades sobre comunicação série, comunicação paralela, síncrona e assíncrona, SPI, e I2C. • Introdução aos protocolos de comunicação para redes pessoais de baixo alcance e potência (norma 802.15.4): ZigBee, RFID, Bluetooth. • Generalidades sobre redes de longo alcance e baixa potência: LoRaWan, NB-IoT e SigFox. Configuração de Bluetooth e ZigBee. Interrupções. Configuração SPI e I2C. Módulo II. Conceitos básicos do protocolo HTTP. (3h) • Criação de serviços Web usando microcontroladores Arduino/NodeMcu. • Desenvolvimento Web; • Entender especificação HTML, construção de páginas HTML. • Entender a linguagem de programação Javascript. Integrar código Javascript em páginas HTML/WEB. Módulo III. Programação básica de dispositivos móveis Android. (3h) • Utilização do Android Studio (IDE, estrutura do projeto, pastas, recursos, XML, manifesto do projeto). • Conhecimentos para o desenvolvimento de projetos básicos, classes Activity, View e Intent (HttpURLConnection). • Integração da aplicação Android com serviços prestados pelos microcontroladores Arduino/NodeMcu/Wemos. Módulo IV. Projeto aglutinador (3h) • Desenvolvimento de APP Android para monitorização e controlo de rede de sensores (por exemplo, controlo de temperatura e luminosidade). Módulo V – (3h) - Apresentação de trabalhos e avaliação da ação

Metodologias

Presencial A interligação e alternância entre conceitos teóricos e aplicações práticas seguirá um carácter teórico-prático onde o formador apresenta e explica detalhadamente os conteúdos programáticos para a compreensão das matérias, centrando-os na resolução de problemas de natureza prática com vista à consolidação e aprofundamento das competências. A metodologia assenta na construção de propostas intradisciplinares e na sua aplicação em contexto. O trabalho em sala visará a produção de propostas e análise crítica das mesmas. Após a testagem em contexto, serão devolvidas à sala de formação as análises para reflexão e reformulação. Trabalho Autónomo Testagem, em ambiente real de contexto de trabalho, das propostas pedagógico-didáticas construídas nas sessões em sala. Criação de ambientes de aprendizagem colaborativa e intradisciplinar. Construção de um portefólio individual de formando que será um instrumento dinâmico e promotor da transformação de práticas. Trabalho prático em colaboração com o contexto real de trabalho dos formandos. Reflexão crítica sobre os documentos apresentados

Avaliação

A avaliação dos formandos decorre em conformidade com o Regime Jurídico da Formação Contínua, o nº 2 do Artigo 46º do ECD, aprovado pelo Decreto-Lei nº 15/2007, de 19 de Janeiro e a Carta Circular CCPFC – 3 – 2007 – Setembro. A avaliação dos formandos resultará da incidência nos Critérios/Parâmetros: - Participação/Contributos: Participação nas sessões (dinâmica da participação e qualidade das intervenções). (10%) - Competências desenvolvidas (observação de práticas e portefólio de atividade) e partilhas sobre o trabalho autónomo desenvolvido. (20%) - Trabalho final (em equipa): - Aplicação de ferramentas com base na utilização, em contexto, de hardware e software, da tecnologia Arduino e sensores na web (plano de intervenção, avaliação de práticas e materiais de apoio). Qualidade dos materiais produzidos. (50%) - Produção de uma reflexão final, individual. (20%) A avaliação final, que terá em conta os referidos parâmetros/critérios de classificação, será traduzida numa classificação expressa na escala de 1 a 10 valores: insuficiente (1 a 4,9 valores), regular (5 a 6,4 valores), bom (6,5 a 7,9 valores), muito bom (8 a 8,9 valores) e excelente (9 a 10 valores).

Bibliografia

Coelho, Pedro. (2001). HTML4 e XHTM. Curso completo, 4ª ed., FCA. Pereira, A. E Poupa, C. (2004). Linguagens WEB. Edições Sílabo Graham, I. S. (1997). HTML Sourcebook. John Wiley & Sons Inc. Clinton Wong (2000). HTTP Pocket Reference. O'Reilly. Lenny Burdette (2010). The JavaScript Pocket Guide. Peachpit Press.

Anexo

Arduinos_e_sensores_na_web_CCPFC_-_Gestão_de_Processos.html

Observações

Prioridade a quem realizou "Programação de Arduinos e Sensores".

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 28-11-2021 (Domingo) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
2 06-01-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
3 13-01-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
4 20-01-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
5 27-01-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial

176

Ref. 110PTD_01 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109780/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 26-10-2021

Fim: 01-02-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Básica e Secundária da Bemposta

Formador

Nelson José dos Reis Ciriz

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira dos grupos 110, 120, 200, 210, 220, 230, 240, 250, 260, 290, 300, 310, 320, 330, 340, 350, 360, 400, 410, 420, 430, 500, 510, 520, 530, 540, 550, 560, 600, 610, 620, 910, 920, 930, TEC.ESP.. Para efeitos de aplicação do artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva a progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Portimão e Monchique

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Metodologias

Presencial As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Trabalho autónomo Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo

CCPFC_-_Gestão_de_Processos_nível_1.html

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 26-10-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
2 09-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
3 16-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
4 23-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
5 30-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
6 07-12-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
7 04-01-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
8 11-01-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
9 31-01-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
10 01-02-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial

167

Ref. 110PTD_04 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109780/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 26-10-2021

Fim: 01-02-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes

Formador

Cláudia Regina de Almeida Gonçalves Bonifácio

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira dos grupos 110, 120, 200, 210, 220, 230, 240, 250, 260, 290, 300, 310, 320, 330, 340, 350, 360, 400, 410, 420, 430, 500, 510, 520, 530, 540, 550, 560, 600, 610, 620, 910, 920, 930, TEC.ESP.. Para efeitos de aplicação do artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva a progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Portimão e Monchique

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Metodologias

Presencial As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Trabalho autónomo Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo

CCPFC_-_Gestão_de_Processos_nível_1.html

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 26-10-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
2 02-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
3 09-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
4 16-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
5 23-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
6 30-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
7 07-12-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
8 04-01-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
9 31-01-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
10 01-02-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial

168

Ref. 110PTD_05 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109780/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 26-10-2021

Fim: 01-02-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Poeta António Aleixo

Formador

Fernando Adolfo de Vasconcelos Pereira Vilela

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira dos grupos 110, 120, 200, 210, 220, 230, 240, 250, 260, 290, 300, 310, 320, 330, 340, 350, 360, 400, 410, 420, 430, 500, 510, 520, 530, 540, 550, 560, 600, 610, 620, 910, 920, 930, TEC.ESP.. Para efeitos de aplicação do artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva a progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Portimão e Monchique

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Metodologias

Presencial As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Trabalho autónomo Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo

CCPFC_-_Gestão_de_Processos_nível_1.html

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 26-10-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
2 02-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
3 09-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
4 16-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
5 23-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
6 30-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
7 07-12-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
8 04-01-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
9 31-01-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
10 01-02-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial

181

Ref. 111PTD_20 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109779/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 26-10-2021

Fim: 01-02-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Poeta António Aleixo

Formador

José Maria de Sousa Rasquinho

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira dos grupos 110, 120, 200, 210, 220, 230, 240, 250, 260, 290, 300, 310, 320, 330, 340, 350, 360, 400, 410, 420, 430, 500, 510, 520, 530, 540, 550, 560, 600, 610, 620, 910, 920, 930, TEC.ESP.. Para efeitos de aplicação do artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva a progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Portimão e Monchique

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

Presencial As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Trabalho autónomo Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo

Capacitação_digital_de_docentes_-_Nível_2_CCPFC_-_Gestão_de_Processos.html

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 26-10-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
2 02-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
3 09-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
4 16-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
5 23-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
6 30-11-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
7 07-12-2021 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
8 04-01-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
9 31-01-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
10 01-02-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial

188

Ref. 111PTD_08 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109779/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 25-10-2021

Fim: 25-01-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes

Formador

Cláudia Regina de Almeida Gonçalves Bonifácio

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira dos grupos 110, 120, 200, 210, 220, 230, 240, 250, 260, 290, 300, 310, 320, 330, 340, 350, 360, 400, 410, 420, 430, 500, 510, 520, 530, 540, 550, 560, 600, 610, 620, 910, 920, 930, TEC.ESP.. Para efeitos de aplicação do artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva a progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Portimão e Monchique

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

Presencial As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Trabalho autónomo Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo

Capacitação_digital_de_docentes_-_Nível_2_CCPFC_-_Gestão_de_Processos.html

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 25-10-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
2 04-11-2021 (Quinta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
3 08-11-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
4 15-11-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
5 22-11-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
6 29-11-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
7 06-12-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
8 03-01-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
9 24-01-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
10 25-01-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial

169

Ref. 111PTD_09 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109779/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 25-10-2021

Fim: 25-01-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Básica e Secundária da Bemposta

Formador

Nelson José dos Reis Ciriz

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira dos grupos 110, 120, 200, 210, 220, 230, 240, 250, 260, 290, 300, 310, 320, 330, 340, 350, 360, 400, 410, 420, 430, 500, 510, 520, 530, 540, 550, 560, 600, 610, 620, 910, 920, 930, TEC.ESP.. Para efeitos de aplicação do artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva a progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Portimão e Monchique

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

Presencial As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Trabalho autónomo Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo

Capacitação_digital_de_docentes_-_Nível_2_CCPFC_-_Gestão_de_Processos.html

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 25-10-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
2 08-11-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
3 15-11-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
4 22-11-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
5 29-11-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
6 06-12-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
7 03-01-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
8 10-01-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
9 24-01-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
10 25-01-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial

182

Ref. 111PTD_10 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109779/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 25-10-2021

Fim: 25-01-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Poeta António Aleixo

Formador

José Maria de Sousa Rasquinho

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira dos grupos 110, 120, 200, 210, 220, 230, 240, 250, 260, 290, 300, 310, 320, 330, 340, 350, 360, 400, 410, 420, 430, 500, 510, 520, 530, 540, 550, 560, 600, 610, 620, 910, 920, 930, TEC.ESP.. Para efeitos de aplicação do artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva a progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Portimão e Monchique

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

Presencial As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Trabalho autónomo Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo

Capacitação_digital_de_docentes_-_Nível_2_CCPFC_-_Gestão_de_Processos.html

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 25-10-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
2 04-11-2021 (Quinta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
3 08-11-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
4 15-11-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
5 22-11-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
6 29-11-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
7 06-12-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
8 03-01-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
9 24-01-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
10 25-01-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial

183

Ref. 111PTD_19 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109779/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 25-10-2021

Fim: 25-01-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Poeta António Aleixo

Formador

Fernando Adolfo de Vasconcelos Pereira Vilela

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira dos grupos 110, 120, 200, 210, 220, 230, 240, 250, 260, 290, 300, 310, 320, 330, 340, 350, 360, 400, 410, 420, 430, 500, 510, 520, 530, 540, 550, 560, 600, 610, 620, 910, 920, 930, TEC.ESP.. Para efeitos de aplicação do artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva a progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Portimão e Monchique

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

Presencial As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Trabalho autónomo Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo

Capacitação_digital_de_docentes_-_Nível_2_CCPFC_-_Gestão_de_Processos.html

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 25-10-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
2 08-11-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
3 15-11-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
4 22-11-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
5 29-11-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
6 06-12-2021 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
7 03-01-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
8 10-01-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
9 24-01-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
10 25-01-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial

184

Ref. 128PC_AEPAA_01 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-112952/21

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 25-10-2021

Fim: 23-05-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Poeta António Aleixo

Formador

Maria João Ribeiro Nunes Proença Borges de Avelar

Destinatários

Professores dos grupos 260 e 620

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira dos grupos 260, 620. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 260, 620.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Razões

O Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória (PASEO) constitui um documento de referência para a organização do sistema educativo, contribuindo para a convergência e articulação das decisões inerentes às várias dimensões do desenvolvimento curricular, tendo como finalidade a de contribuir para a organização e gestão curriculares e, ainda, para a definição de estratégias, metodologias e procedimentos pedagógico-didáticos a utilizar na prática letiva. Desta forma, através da realização de um Curso de Formação, o grupo de Educação Física considera possível alargar e aprofundar esses conhecimentos científicos e pedagógico-didáticos e de competências profissionais especializados sobre as Aprendizagens Essenciais da disciplina de Educação Física, bem como o seu contributo para o PASEO.

Objetivos

Atualizar e aprofundar conhecimentos sobre as Aprendizagens Essenciais de Educação Física (AEEF) e o PASEO; • Proporcionar a reflexão sobre dos documentos de referência das AEEF e o seu contributo para a gestão do currículo, centrado no PASEO; • Munir os professores de instrumentos que permitam o trabalho transversal ao nível dos conselhos de turma; • Proporcionar a partilha de experiências de ensino, com aluno e turmas reais, entre os docentes do grupo, possibilitando o aperfeiçoamento de metodologias de ensino conducentes com as AEEF; • Reconhecer os professores enquanto agentes principais do desenvolvimento do currículo; • Promover o espírito de grupo e o trabalho colaborativo, centrado no contexto da prática profissional dos docentes, apelando à sua auto e hétero-formação.

Conteúdos

Medidas da política educativa nacional ao nível da gestão flexível e integrada do currículo • Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória (PASEO) • Aprendizagens Essenciais de Educação Física • Mapeamento/operacionalização curriculares (Curriculum Content Mapping) • Plano de aula enquanto instrumento organizador das atividades de ensino – aprendizagem - avaliação • Supervisão como estratégia de trabalho colaborativo, impulsionadora da melhoria do processo de ensino – aprendizagem - avaliação

Metodologias

- Na 1ª sessão serão apresentados os objetivos, a estrutura e o modo de avaliação da ação; 1ª fase de formação: - Nas sessões seguintes em plenário serão revisitados, analisados e discutidos o PASEO e os documentos que o regulamentam; as Aprendizagens Essenciais de Educação Física; - em pequenos grupos serão elaborados mapeamentos das Aprendizagens Essenciais por ano de escolaridade; - Será realizada uma sessão, em plenário, de apresentação e discussão dos trabalhos dos diferentes grupos 2ª fase de formação: - Elaboração de planos de aula para aplicação em contexto de sala de aula, e posterior discussão/ reflexão em pequeno grupo Será realizada uma sessão de balanço desta fase em plenário - Última sessão, avaliação e balanço final do curso de formação

Avaliação

Processo de formação – Partilha de conhecimentos, participação nas atividades das sessões - 50% • Reflexão crítica individual - 50% O resultado final é traduzido numa classificação quantitativa expressa na escala de 1 a 10 valores e de acordo com o disposto no Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio

Modelo

Questionários: formandos e formadora.

Bibliografia

• Albuquerque, A; Graça, A; Januário, C. (2005) Supervisão Pedagógica em Educação Física. Lisboa. Livros Horizonte. • Martins, G; e outros (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Lisboa. Editorial do Ministério da Educação e Ciência. • ME (2018). Educação Física. Aprendizagens Essenciais. Articulação com o Perfil dos Alunos. Lisboa. Editorial do Ministério da Educação e Ciência. • Roldão, MC; Peralta, H; Martins, I. (2017) Currículo do Ensino Básico e Secundário. Para a Construção A Construção de Aprendizagens Essenciais Baseadas no Perfil dos Alunos. Lisboa. Editorial do Ministério da Educação e Ciência. Processo

Anexo

An2__Aprovado_CCPFC_-_Gestão_de_Processos.pdf

Observações

Esta ação, exclusiva do AE PAA, será desenvolvida no trabalho colaborativo do grupo.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 25-10-2021 (Segunda-feira) 14:20 - 15:20 1:00 Presencial
2 08-11-2021 (Segunda-feira) 14:20 - 15:55 1:35 Presencial
3 15-11-2021 (Segunda-feira) 14:20 - 15:55 1:35 Presencial
4 22-11-2021 (Segunda-feira) 14:20 - 15:55 1:35 Presencial
5 06-12-2021 (Segunda-feira) 14:20 - 15:55 1:35 Presencial
6 03-01-2022 (Segunda-feira) 14:20 - 15:55 1:35 Presencial
7 10-01-2022 (Segunda-feira) 14:20 - 15:55 1:35 Presencial
8 17-01-2022 (Segunda-feira) 14:20 - 15:55 1:35 Presencial
9 31-01-2022 (Segunda-feira) 14:20 - 15:55 1:35 Presencial
10 07-02-2022 (Segunda-feira) 14:20 - 15:55 1:35 Presencial
11 21-02-2022 (Segunda-feira) 14:20 - 15:55 1:35 Presencial
12 07-03-2022 (Segunda-feira) 14:20 - 15:55 1:35 Presencial
13 21-03-2022 (Segunda-feira) 14:20 - 15:55 1:35 Presencial
14 28-03-2022 (Segunda-feira) 14:20 - 15:55 1:35 Presencial
15 02-05-2022 (Segunda-feira) 14:20 - 15:55 1:35 Presencial
16 09-05-2022 (Segunda-feira) 14:20 - 15:55 1:35 Presencial
17 23-05-2022 (Segunda-feira) 14:20 - 15:55 1:35 Presencial

Ref. 1251 Em avaliação

Registo de acreditação: 1

Modalidade: Seminário

Duração: 3.0 horas

Início: 21-09-2021

Fim: 28-09-2021

Regime: e-learning

Local: Video conferência

Formador

Sandra Maria Carvalho Mendes

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva a progressão em carreira.

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento da Bemposta

Objetivos

- Conhecer as potencialidades do eTwinning no atual contexto de ensino e de aprendizagem; - Desenvolver saberes e capacidades que potencializem a aprendizagem nas diferentes áreas curriculares, ou transversais ao currículo, através de novos ambientes de informação e de aprendizagem em segurança; - Compreender os aspetos principais relativos à formalização e gestão de um projeto eTwinning; - Contribuir para repensar a metodologia usada em contexto de sala de aula; - Consciencializar para a importância do trabalho colaborativo seguro na construção de aprendizagens significativas e na promoção dos objetivos da União Europeia.

Conteúdos

- Portal eTwinning. - Portal eSafety. - Principais recursos disponíveis do eTwinning Live. - Encontrar eTwinners (parceiros) para desenvolver um projeto. - Ferramentas para elaborar colaborativamente um projeto eTwinning. - O TwinSpace como o espaço do projeto.


Não existem ações.