Ações de Formação c/despacho > Imprimir (id #111568)
Ficha da Ação
Título Teatro em contexto escolar
Área de Formação A - Área da docência
Modalidade Curso de Formação
Regime de Frequência Presencial

Duração
Horas presenciais: 25
Nº de horas acreditadas: 25

Cód. Área   Descrição
Cód. Dest. 04   Descrição Educadores de Infância e Professores dos 1º e 2º Ciclos do Ensino Básico
DCP   Descrição
Reg. de acreditação (ant.)

Formadores
Formadores com certificado de registo
B.I. 9542728    Nome MARIA DE FÁTIMA COELHO DOS MÁRTIRES    Reg. Acr. CCPFC/RFO-32664/13
Componentes do programa Todas    Nº de horas 25

B.I. 8099106    Nome RITA MARIA BASTOS WENGOROVIUS    Reg. Acr. CCPFC/RFO-04727/97
Componentes do programa Todas    Nº de horas 25

B.I. 8487167    Nome MARIA ELENA VIEIRA TAPADINHAS    Reg. Acr. CCPFC/RFO-09625/99
Componentes do programa Todas    Nº de horas 25


Formadores sem certificado de registo

Estrutura da Ação
Razões justificativas da ação e a sua inserção no plano de atividades da entidade proponente
A DGE tem a decorrer desde 2010 o Programa de Educação Estética e Artística (PEEA), na área do desenvolvimento curricular. O PEEA pretende aprofundar, em contexto escolar, o domínio das várias formas de arte. O presente curso é o 2.º nível de formação para aprofundamento do Teatro.
A integração da formação de docentes de todos os grupos disciplinares com o contacto das crianças e jovens com atores e com as peças de Teatro insere-se numa dinâmica formativa que articula os saberes específicos da área do teatro e a fruição de diferentes universos cénicos.
Salienta-se ainda a necessidade de formação dos docentes e dos técnicos dos serviços educativos das Companhias de Teatro na área Expressão Dramática /Teatro, cuja ausência de formação, ou insuficiente formação, resulta em práticas que por insistir em atividades que, ora enfatizam a “livre expressão” e o jogo simbólico, ora a ilustração de temas e festividades do calendário escolar, descuram um conjunto de regras e processos básicos necessários à aprendizagem de qualquer área do saber.
Objetivos a atingir
• Valorizar o Teatro como forma de arte;
• Promover o contacto direto com um conjunto de práticas teatrais;
• Incentivar um contacto mais próximo com os públicos escolares, articulando a relação entre a Educação e a Cultura;
• Valorizar os conteúdos curriculares de diferentes disciplinas nos vários níveis de ensino;
• Mobilizar os conhecimentos e as atividades mais “ajustadas” ao desenvolvimento da criatividade e do espirito critico.
• Trabalhar a linguagem do corpo: a abordagem à disponibilidade corporal; a tomada de consciência do corpo e do gesto/movimento; o “jogo” das emoções; o relacionamento com os outros; o jogo dramático; o real e o ficcional;
• Desenvolver as capacidades expressivas, gestuais, corporais e vocais dentro das componentes espaço-tempo;
• Potenciar a exploração os sentidos (visão, audição...): o seu apuramento e particularização;
• Integrar a palavra/sentido do texto no jogo corporal de movimento/relacionamento;
• Apropriar os sons e os sentidos das palavras a partir da sua "fisicalidade" e da “corporização” das imagens;
Conteúdos da ação
I-O corpo como meio de expressão
• Conhecimento do Eu e relacionamento com os outros e o espaço: agir, estar, ver e ser visto, mexer-se, tocar, transformar-se, criar espaços, interpretar e representar;
• Jogos de movimento: a relação corpo/espaço;
• Simbologia de objetos e ambiências;
• Jogos dramáticos: a exploração da sensibilidade/imaginação.

II - Textos e Construção do personagem
• Analogia – Sinais (Signo): improvisações livres e improvisações intencionais e estruturadas;
• Leitura de textos dramáticos e a sua análise: códigos da linguagem dramática – noção e prática da situação cénica, personagem e contexto teórico;
• Técnicas de leitura em voz alta: exercícios de ritmos, dicção, respiração, colocação de voz, articulação, volume;
• Apreensão físico-afectiva dos textos;
• Criação de personagens/tipos, utilizando diferentes intenções;
• Experimentação prática a partir de textos diversos.
III - Criação e comunicação: Voz, Movimento, Coordenação
• Interpretação/ representação;
• Jogos de improviso dramático (espontâneo ou orientado) enfatizando contrastes e intenções opostas;
• Capacidade de escuta e de resposta;
• Relação do corpo no espaço de representação: consigo e com os outros elementos - “atores”, objetos e audiência.
IV - Espaço de representação
• Diferentes espaços cénicos: convencionais e não convencionais.
Metodologias de realização da ação
O curso decorrerá em sessões presenciais teórico-práticas A metodologia a utilizar basear-se-á em dinâmicas vivenciais e participativas durante as quais os formandos terão a oportunidade de, individualmente ou em grupo, participar em diversos exercícios práticos, quer para reflexão e partilha no âmbito das práticas educativas, quer para aplicação e adaptação no seu contexto diário de trabalho em sala de aula.
Serão explorados os conteúdos apresentados, mediante uma abordagem teórico prática. Para tal, as metodologias a utilizar serão, maioritariamente, ativas e vivenciais, de forma a desenvolver competências práticas e mais significativas, que possam ter real impacto na relação pedagógica com os alunos e com os pares.
Regime de avaliação dos formandos
Apresentação dos trabalhos elaborados em contexto de trabalho.
A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua, de acordo com os seguintes critérios:
• processo da formação ( assiduidade/pontualidade; partilha de conhecimentos; participação nas atividades das sessões; realização das tarefas - 40%
• Projeto e reflexão crítica - 60%
Fundamentação da adequação dos formadores propostos
Experiência como formadoras e muito conhecedoras dos conteúdos da formação e da realidade das escolas. O perfil pessoal e profissional de qualquer uma das formadoras é totalmente ajustado e adequado à dinamização desta ação de formação.
Bibliografia fundamental
Aristóteles (2004) A poética, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian.
Boal, Augusto (1977), 200 exercícios e jogos para o actor e o não actor com ganas de dizer
Brecht, Bertolt (1978), Petit organon pour le theatre, Paris, Travaux 4-L’arche
Graig, Gordon (1963), Da arte do teatro, Lisboa, Arcádia.
Meyerhold, Vsévolod (1980), O teatro Teatral, Lisboa, Arcádia



Processo
Data de receção 01-10-2020    Nº processo 110819    Registo de acreditação CCPFC/ACC-109411/20
Data do despacho 12-10-2020    Nº oficio 5797    Data de validade 12-10-2023
Estado do Processo C/ Despacho - Acreditado